CUNHA DE LEIRADELLA
O CIRCO DAS
QUALIDADES HUMANAS



Longa metragem

INDEX

Nota preliminar
Narrativas
Personagens (ordem alfabética)
Figuração
Perfil dos personagens

ROTEIRO:

01-15
16-18
19-25
26-32
33-34
35-37
38-40

41-43
44-45
46-50
51-58
59-62
63-67
68-70

71-72
73-79
80-83
84-91
92-101
102-110
111-121

 

80 - BAR DO CAMPO. INTERIOR. NOITE.

 

Preto continua bebendo no canto do balcão, acompanhado de Lisa. Chicão entra, sorridente. Preto, ao ver Chicão, afasta-se de Lisa, num movimento rápido. Lisa olha-o, espantada.

 

PRETO

- Güenta aí. Güenta aí, que eu...

 

Antes que Lisa possa dizer alguma coisa, Preto afasta-se, rápido, como se fosse ao banheiro. Jofre, carregando uma bandeja, passa junto de Chicão.

 

CHICÃO

- Cadê o velho Nilo?

 

Jofre olha a mesa de Carioca e a câmera segue o seu olhar. Carioca olha para Jofre e baixa a cabeça. Jofre entende o significado do olhar de Carioca e aponta a mesa a Chicão.

 

JOFRE

- Tá lá.

 

Corta para Carioca e Nilo. Chicão aproxima-se, sem reconhecer Carioca, de cabeça baixa, e dá uma palmada no ombro de Nilo.

 

CHICÃO

- Quê que...

 

Nilo olha Chicão e ele percebe que alguma coisa está errada. Carioca levanta a cabeça e olha Chicão, debochado. Chicão, rápido, leva a mão à cintura. Mas pára o gesto ao sentir Preto enfiar o cano do revólver nas suas costas.

 

PRETO

- Qual que é, ô? Eu sou preto, mas não sou burro, não, quê que há?

 

Num gesto rápido, Preto tira o revólver de Chicão e guarda-o.

 

PRETO

- Senta aí.

 

Chicão olha Preto, espantado, mas sorrindo. Preto, furioso, empurra-o com o cano do revólver.

PRETO

- Senta, caralho!

 

Chicão senta-se e Preto senta-se também. Carioca faz um gesto. Jofre aproxima-se, correndo.

 

CHICÃO

- Tá tudo bem, Jofre. Faz de conta que...

PRETO

- Faz de conta, o caralho! (A Jofre.) Se tu der bandeira...

CARIOCA (A Jofre)

- Vai. Vai. Se manda. Mas já viu!

 

Jofre afasta-se, rápido.

 

CARIOCA (A Nilo)

- Agora, nós vamo acertar. (Debochado, a Chicão.) Num vamo, não, bom amigo?

 

Nilo passa a toalha na cara e no pescoço. Chicão enche um copo de cerveja e bebe, devagar.

 

CHICÃO (Sorrindo, aparentando segurança)

- Vamo, claro.

PRETO

- Vamo, o caralho! Cumé que tu pode acertar, se tá devendo até a alma? Ou tu já esqueceu de Chumbinho, de Mocó, de Piti, de Cagão, de... Tu já esqueceu de Mary Gold, caralho?!

CARIOCA

- Esqueceu, não. Lembra muito bem, num lembra, não?

 

Carioca olha Nilo e, depois, olha Chicão, enfatizando as palavras.

 

CARIOCA

- Hem, bom amigo?

CHICÃO

- Claro que eu lembro. E tô lembrando até de um negócio...

PRETO (Cortando)

- Num tem negócio, não!

CHICÃO (A Carioca)

- Quem sabe o negócio que eu tenho é melhor do que...

CARIOCA (Cortando)

- Agora, num tem mais negócio, não, bom amigo. Agora...

PRETO (Com força)

- Então, vambora! Vamo acabar logo cum essa porra!

CHICÃO (A Carioca)

- Dava pra...

PRETO (Cortando)

- Dava, o caralho!

CHICÃO (Continuando)

- ... despedir da mulher e do garoto?

 

Preto, furioso, vai dizer alguma coisa. Carioca, rápido, manda-o calar com um gesto e olha Chicão, durante alguns instantes.

 

CARIOCA

- Bom tu lembrar da Mary Gold, se tá pensando...

CHICÃO (Encolhendo os ombros)

- Não tô pensando nada.

PRETO

- Tu vai cagar igual, igual, filho da puta!

 

Carioca levanta-se e aponta Chicão.

 

CARIOCA

- Olho nele.

PRETO (Rindo)

- Xacomigo, meu irmão! Xacomigo!

CARIOCA (A Nilo)

- E tu, aí, ó, boca de siri. Senão...

 

Carioca passa o dedo na garganta e faz o gesto característico da degola.

 

CARIOCA

- ... já viu!

NILO

- Eu juro... Eu juro que...

 

Nilo cala-se e olha Chicão. Chicão levanta, ligeiramente, as sobrancelhas. Preto percebe e, rápido, dá-lhe uma coronhada na testa. Chicão agüenta a pancada sem gritar.

 

PRETO (Com raiva)

- Filho da puta!

 

O sangue escorre da testa de Chicão e Nilo quer levantar-se. Preto segura-o e ameaça fazer o mesmo que fez em Chicão. Carioca segura o braço de Preto.

 

CARIOCA

- Porra, caralho, tu pirou?

PRETO

- Pirou foi tu, filho da puta!

 

Preto, furioso, aponta Chicão e Nilo.

 

PRETO

- Num viu o jogo deles, não, caralho?!

 

81 - CASA DE BOSCO. CORREDOR. INTERIOR. NOITE.

 

Bosco vem correndo, esbarrando nas paredes.

 

VOZ DE BOSCO

- Eu não posso! Eu não quero!

 

Empurra a porta, com força, e entra no banheiro.

 

82 - CASA DE BOSCO. BANHEIRO. INTERIOR. NOITE.

 

Jussara toma banho e masturba-se. Não grita, quando Bosco entra. Antes pelo contrário, sorri e acelera os movimentos. Bosco olha-a, esgazeado. Jussara acelera, ainda mais, os movimentos e geme. Uma excitação violenta toma conta de Bosco e ele treme, e balbucia palavras incompreensíveis. À medida que aumenta o tremor de Bosco, dos seios de Jussara começa saindo um líquido prateado, que esguicha e bate na cara de Bosco. Quando explode o orgasmo de Jussara, Jussara e Bosco gritam. Neste momento, a porta abre e entra Antônio, que agarra Bosco com violência. Exatamente como fez a figura que apareceu na parede, na seqüência 40.

 

83 - BAR DO CAMPO. INTERIOR. NOITE.

 

Jofre, ao ver o sangue escorrendo da testa de Chicão, quer fugir. Mas vê Preto olhando para ele e continua servindo. Corta para Carioca, Preto, Nilo e Chicão. Preto obriga Chicão a levantar-se. Carioca faz o mesmo com Nilo.

 

CARIOCA

- Agora, a gente vai embora...

NILO (Gaguejando)

- E... e... e...

PRETO

- Gagueja, não, caralho! (A Carioca.) Apaga ele. Num vamo dar bandeira, não!

CARIOCA (A Nilo)

- Tu viu? Se abrir o bico, ó... (A Preto.) Vamo.

 

Começam andando. Nilo na frente e Carioca encostado nele. Atrás, Chicão, e Preto, também encostado nele. Na zoeira do ambiente, ninguém repara neles. Param junto da porta.

 

NILO

- Pelas santas almas do céu...

PRETO (A Carioca)

- Apaga ele, porra! Vai foder a gente.

NILO (Continuando)

- ... eu juro que não digo nada, não, Seu Carioca.

 

Preto, de repente, dá um tiro e acerta a perna de Nilo. Nilo cai no chão, gritando.

 

PRETO

- Agora, tu num diz mesmo, caralho!

 

O bar vira um tumulto, com o tiro. Jofre cai no chão, gritando.

 

JOFRE

- Eu tô morto! Eu tô morto!

CARIOCA (A Jofre)

- Cala a boca, porra!

 

Carioca dá um tiro para o ar e todos se calam.

 

CARIOCA (Gritando)

- Todo mundo aí, caralho! Se vacilar...

 

Todos olham Carioca, assustados.

 

CARIOCA (A Chicão, sorrindo, debochado)

- Agora, nós vamo acertar as nossas contas, bom amigo!

 
 

 

 

 


hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano