JOÃO GARÇÃO

De “OS VERSOS DO ZÉ POVÃO”

Abcedário

Solfejo

Sentimento

Muralha

Sábado

Outrora

Inventário portalegrense

Aguarela

Periscópio

Página

Estante

A Raul Proença

Página

O coração do medo pergunta-nos devagar:

- Então e o sol? Correu-vos bem o almoço?

O coração do medo não sabe que as pernas dão passadas

que nós levamos podemos levar para todos os lados.

O coração do medo nunca descansa

não faz ginástica, raramente vai de visita.

O coração do medo às tantas vai perguntar-te:

- Fizeste a barba? Usaste preservativo?

Por isso o coração do medo tem uns olhos pequenos

como pequenos buracos onde ninguém se poderá esconder.

 
 

 




 



hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano