JULIA VALESCA PAIS:
"A noite é dos pássaros"

E OS PÁSSAROS POUSARAM SOBRE O MEU PAPEL - REFLEXÕES CRÍTICAS SOBRE O ROMANCE “A NOITE É DOS PÁSSAROS”

INDEX
Objetivo
Resumo
Sumário
INTRODUÇÃO
1 – Nicodemos Sena e sua fortuna crítica
2 – Hans Staden e Duas viagens ao Brasil
3 – Nicodemos Sena e A noite é dos pássaros
4 – Uma leitura comparada
         4.1 – O elemento religioso
         4.2 – O caráter de Alexandre Rodrigo Ferreira X Hans Staden
         4.3 – O relato dos costumes tribais
         4.4 – A diferença de gênero entre as obras
5 – A noite é dos pássaros e a Pós-Modernidade
         5.1 – O ecletismo estilístico em A noite é dos pássaros
         5.2 – A intertextualidade em A noite é dos pássaros
         5.3 – O  hibridismo em A noite é dos pássaros
CONCLUSÃO
REFERÊNCIAS
ANEXO: ENTREVISTA COM NICODEMOS SENA

5 – A Noite é dos pássaros e a Pós-Modernidade.

         O Pós-Modernismo, como expressão literária e artística, está inserido em um contexto de rápida aceleração da modernização pela qual vem passando o mundo desde a segunda metade do século XX. Essa aceleração vem acompanhada de fortes contradições sociais, pelas quais o nosso mundo atravessa. Localizado nesse contexto de múltiplas diferenças, em que a alta tecnologia divide espaço com a miséria e o analfabetismo, está o homem pós-moderno e sua multiplicidade, resultante desse mundo fragmentado.
         De acordo com Afrânio Coutinho “a questão da conceituação de pós-modernismo já em si é bastante problemática, uma vez que se trata de um fenômeno fundamentalmente heterogêneo” (COUTINHO, 2006: 236.). Toda essa multiplicidade faz com que a caracterização de uma obra pós-moderna seja uma tarefa um tanto quanto difícil. Contudo, há que se destacar a presença de certos pontos em comum nas obras pertencentes a este estilo literário como, o ecletismo estilístico, a intertextualidade e o hibridismo. São esses pontos que iremos verificar no romance de Nicodemos Sena.

 
 
 
 
 
 

 

 

 




 



hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano