Procurar imagens
     
Procurar textos
 

 

 

 

 


 

 

MARIA DO SAMEIRO BARROSO
POEMAS DO SILÊNCIO

INDEX

De que fala o silêncio?
Poema com desenhos de António Ramos Rosa
Os violinos e os nomes
Os pomos de Dioniso
As hipérboles da luz
Ciclos eternos
Os anéis da claridade
O corpo e os seus lugares
Os nenúfares de música

Poema com desenhos de António Ramos Rosa

Os olhos, os traços soltos em carícias leves,

murmuram o mundo, a sua dança, o seu clamor,

os seus aromas festivos,

e a lua, em seu rosto levíssimo, flutua,

porque o sol é o astro, que em seu silêncio levita.

 

Na extremidade das flores, onde um veludo

precioso dormita,

a vida é o anoitecer deslumbrado.

Nos olhos de um Poeta, a dança do mundo,

os seus desenhos festivos acariciam a luz,

os seus bailados.

Nos jardins do seu nome, as palavras

resplandecem.

 

Nos ramos do silêncio, um pássaro pousou,

ainda há pouco,

nas praias obscuras, em suas fúlgidas areias,

o Poeta, em seus olhos de silêncio se banhou,

inebriado de canto e púrpura

 

e os seus traços, acompanhando os acordes

misteriosos, reinventaram os ritmos,

a criação,

 

......................sobre membranas fluidas,

...........................................................recamadas de vida.

António Ramos Rosa, Fotobiografia, Organização Ana Paula Coutinho Mendes,
Dom Quixote, Lisboa, 2005

 




 



hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano