SANDRA COSTA

Sobre a ponte, observas

[desconheço] o que vai para além

o tamanho impensável das flores

Existimos de forma concisa

hoje, crescem em mim coisas simples:

Não te espantas com as uvas ainda

aguardo os dias

aguardo os dias

1.

aguardo os dias
que não se demoram na janela

como as flores das cerejeiras
se me abandono

2.

descendo

dos deuses que foram criados
ao ritmo das fábulas e dos pesadelos

em mim

encontro flores secas e silêncios acumulados
o torpor de um cavalo que não existe como

a morte

3.

ouço a água quando me debruço
sobre os lugares onde as minhas
sombras descansam

direi que é um jogo
entre o relâmpago e a noite

ou que num poço abandonado
imagino o início do mundo

 

 

 




 



hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano