::::::::::::::::::::DENISE FERRAZ::::::::

PICASSO EXPÕE - INDEX

Picasso expõe
O disperso
A traça
Máquinas de Pimball
Cardápios variados na mesa de linho branco do jantar
A senha
Mijadouro
Genética da ovelha
A vida em tango raro

A vida em tango raro

E então quando os livros me escapam
Olho para Galeno, para sua boca voraz engolindo o seco.
Não, não posso dizer o que se passa no agora,
Justo quando tudo parece se revolver na memória do acaso,
Justo quando Galeno se dissolve no ar rarefeito,
Na cidade truculenta, vem isto a me acometer.
 
Ah, que se desejo o sumo da fruta rara,
Não esqueço o amarelo amargurado da manga,
A escorrer suculento
Pela boca em escarro de Galeno.

O ácido da laranja já não descarto.
Que a vida, não em desespero,
A vida em tango raro, feita de carnadura.
No escuro, não, no claro, em moto continuo, se esvai:
Puro pó.
E o morango rubro,
Apunhalado pela mão sorrateira,
Extraído das moscas azuis,
Sacia uma fome indizível:
Sua oferenda é a morte
Logo ali, exposta no final da feira.
 

Ah, que pelas tardes, a vida se devora crua.

(Ao longe uma cadela cicia um uivo de loba faminta).

Denise Sampaio Ferraz. Olímpia (São Paulo, Brasil), 1963. Graduada em Comunicação Social (Jornalismo). Mestre em Teoria da Literatura pela UNESP de São José do Rio Preto (S.P). Prepara tese de doutoramento em Teoria da Literatura pela mesma Universidade sobre Clarice Lispector.

Entrada no TriploV: Abril de 2008
 

 

 

 




 



hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano