CARLOS DE OLIVEIRA

Finisterra

Estalactite

Dunas

Líquenes

Seguindo o fio

Aço na forja...

Nevoeiro

Soneto

Estalacttite IV, VI e VIII

Localizar
na frágil espessura
do tempo,
que a linguagem
pôs
em vibração
o ponto morto
onde a velocidade
se fractura
e aí
determinar
com exactidão
o foco
do silêncio.

Algures
o poema sonha
o arquétipo
do voo
inutilmente
porque repete
apenas
o signo, o desenho
do Outono
aéreo
onde se perde a asa
quando vier
o instante
de voar

Caem
do céu calcário,
acordam flores
milénios depois,
rolam de verso
em verso
fechadas
como gotas,
e ouve-se
ao fim da página
um murmúrio
orvalhado.

 

 




 



hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano