GERARD CALANDRE

VESTÍGIOS

Trad. Nicolau Saião

VESTÍGIOS - INDEX
HORIZONTE

1. Dir-se-ia

que o Sol dorme, que o Sol apaga

a nossa alegria

 

Dir-se-ia

que esta luz é uma sombra

da nossa voz intranquila

 

Dir-se-ia

que em momentos desconhecidos

somos planetas mortais

 

Que somos figuras recortadas

em lugares onde a Lua brilha

 

Dir-se-ia, dir-se-ia

que o tempo que nos resta

colhe os minutos onde a luz

é de si mesma um reflexo.

 

2. Na Bretanha, quando a noite chega

as altas torres de Veneza rodeiam

a minha velha terra de rapaz

 

Onde, agora

os frescos frutos que outrora

a mãe depunha sobre a mesa?

 

Eis o problema

talvez o mistério

de tantos anos:

 

estar em todos os lugares

com olhos que distinguem

o que tive e o que tenho

 

na minha terra, em Veneza, em todo o mundo.

Gérard Calandre nasceu em 1952, na Bretanha, França. Viveu na Itália, leccionando na cidade de Messina. De formação científica, tem-se mantido afastado do mundo das Letras. Autor do livro Vestígios, traduzido por Nicolau Saião e de textos esparsos sobre o seu ramo profissional. Visitou Portugal em 1992 e 1997. Após o falecimento de sua mulher foi viver para o Canadá francófono.

Tem colaboração nas revistas “Diversos” – dir. José Carlos Marques, “Bicicleta” – orientada por Manuel Almeida e Sousa, “Agulha”(Brasil) – dir. Cláudio Willer & Floriano Martins, etc..

NS

 
 

 

 

 




 



hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano