CORSINO FORTES.

Pecado original

Passo pelos dias

E deixo-os negros

Mais negros

Do que a noute brumosa.



Olho para as coisas

E torno-as velhas

Tão velhas

A cair de carunchos.



Só charcos imundos

Atestam no solo

As pegadas do meu pisar

E fica sempre rubro vermelho

Todo o rio por onde me lavo.



E não poder fugir

Não poder fugir nunca

A este destino

De dinamitar rochas

Dentro do peito...


(Claridade, 1960)

 Corsino Fortes nasceu na Ilha de São Vicente, em Cabo Verde, em 1933. Formou-se em Direito (em Lisboa), fez parte de alguns governos de Cabo Verde e foi embaixador em Lisboa. De 2003 a 2006, foi Presidente da Associação dos Escritores de Cabo Verde. Tem vários livros publicados, entre os quais Pão e fonema e Árvore e tambor. O poeta é detentor de uma obra considerada inovadora e de valor singular para a trajectória cultural de Cabo Verde, que expressa uma nova consciência da realidade cabo-verdiana e uma nova leitura da própria tradição cultural do Arquipélago.

In: http://www.ipleiria.pt/portal/ipleiria?p_id=60600

 

 

 

 

 

 

 

 




 



hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano