O LIVRO DE OURO
DE SAINT GERMAIN

CAPÍTULO I - EU SOU

A Vida em todas as suas atividades, onde quer que Ela se manifeste, é DEUS EM AÇÃO. É por falta de conhecimento na forma de aplicar o pensamento-sentimento, que os humanos estão sempre interrompendo a passagem da Essência de VIDA. Se não fosse por essa razão, a Vida expressaria sua perfeição com toda a naturalidade em todas as partes.

A tendência natural da Vida é Amor, Paz, Beleza, Harmonia e Opulência. Para Ela é indiferente quem a use; continuamente está surgindo, mais e mais, para manifestar Sua perfeição, e sempre com este impulso vivificador que lhe é inerente.

"EU SOU"

"EU SOU" é a atividade da Vida. É inacreditável que os estudantes mais sinceros nem sempre chegam a captar o verdadeiro significado dessas duas palavras!

Quando dizeis "EU SOU", sentindo-as, abris a fonte da Vida Eterna, para que corra sem obstáculos ao longo do seu curso; em outras palavras, abris amplamente a porta para seu fluxo natural. Quando dizeis "Eu não sou", fechais a porta ante a face desta Magna Energia.

"EU SOU" é a plena atividade de Deus. Coloquei em vossa frente, infinidade de vezes, a Verdade de "DEUS EM AÇÃO". Quero que compreendais que a primeira expressão de todo ser individualizado, em qualquer parte do Universo, seja em pensamento, sentimento ou palavra, é "EU SOU", reconhecendo, as­sim, Sua própria Vitoriosa Divindade.

O estudante, ao tentar compreender e aplicar estas potentes, ainda que singelas leis, tem que manter uma vigilância estreita sobre seus pensamentos e atitudes. Isto porque, cada vez que alguém pensa ou diz "Não Sou", "Não posso" ou "não tenho" está sufocando a Magna Presença Interna, consciente ou inconscientemente, em forma tão tangível, como se colocasse as mãos ao redor do pescoço de alguém. A diferença desse gesto, na forma externa, é que podeis, com o pensamento, governar vossas mãos e afrouxá-las a qualquer momento. Quando alguém faz uma declaração de "não ser", "não ter" ou "não poder", coloca em movimento a energia ilimitada que continuará atuando até que seja anulada e transmutada sua ação. Isto mostrará o enorme poder que tendes para qualificar, ordenar e determinar a forma em que desejeis que atue a Grande Energia de Deus. Digo-vos, amado estudante, que a dinamite é menos perigosa. Uma carga de dinamite desintegrará o vosso corpo; enquanto que pensa­mentos ignorantes, lançados sem controle nem governo, travam a roda da reencarnação indefinidamente ou seja: enquanto dure um decreto sem ser detido, transmutado e dissolvido, o mesmo continuará imperando " per secula seculorum ", por disposição do próprio indivíduo!

Por isso, vede quão importante é que saibais o que estais fazendo quando usais atitudes incorretas impensadamente, já que estareis empregando o mais potente e Divino Princípio da Atividade no Universo, ou seja, o "EU SOU".

Não compreendais mal, não se trata de uma atividade, idéia oriental, estrangeira, vã ou leviana, nem de nenhum exagero. Trata-se, nem mais nem menos, do mais alto Princípio de Vida, usado e expressado através de todas as civilizações que tenham existido. Lembrai-vos primeiro que toda a forma de vida, cons­ciente de si mesma, expressa o EU SOU, que é muito mais do que "eu existo". Depois, em seu contato com o exterior, com atividade incorretamente qualificada, é que o estudante começa a aceitar coisas inferiores ao "EU SOU".

Agora vede, amado discípulo, quando dizeis "eu estou enfermo" estais deliberadamente invertendo a perfeição que contém o processo vital. Não enxergais que o estais batizando com algo alheio que jamais o "EU SOU" possuiu?

Através de muitos séculos de ignorância e incompreensão, a humanidade carregou de falsidade e irrealidades até mesmo a atmosfera que a rodeia; por isso, tenho de repetir, que quando anunciais "estou enfermo", é uma flagrante mentira com respeito à Divindade. Ela (o EU SOU) jamais conhecerá doença. É sempre plena de Vida e Saúde.

Peço-vos, amado estudante, em Nome de Deus, que cesseis de empregar essas falsas impressões em relação à Divindade, pois é impossível que tenhais liberdade, enquanto as continuais usando. Nunca será demasiado insistir convosco, para que verdadeiramente reconheceis e aceiteis a Magna Presença de Deus "EU SOU" em vosso interior, pois, categoricamente, não tereis mais condições adversas.

Em nome de Deus, suplico-vos que, cada vez em que vos encontreis dizendo que estais doente, pobre ou em outras situações adversas, instantaneamente invertais esta condição fatal para vosso progresso, e declareis mentalmente, com toda a intensidade de vosso EU SOU, que é todo saúde, opulência, felicidade, paz e perfeição. Cessai de dar poderes a condições externas, pessoas, lugares e coisas, pois o EU SOU é o poder de reconhecer a Perfeição em cada um e em todas as partes.

Quando pensais na expressão "EU SOU", significa que já sabeis que tendes Deus em ação atuando em vossa vida. Não permitais que falsas avaliações, conclusões e palavras continuem governando e limitando-vos: Lembrai constantemente: "EU SOU", portanto, sou Deus em Ação, "EU SOU" Vida, Opulência, Verdade já manifestadas".

Assim, lembrando-vos desta Presença lnvencível, mantende a porta aberta para que Ela (a Presença "EU SOU") mostre, em vossa manifestação externa, toda a Sua Perfeição.

Por Deus, não crede que, continuando a usar decretos erra­dos, de alguma maneira a vossa vida vá endireitar-se e manifestar coisas boas, porque é impossível que isto aconteça. Nos pastos usam-se ferros para marcar as reses. Eu gostaria de poder marcar-vos com um ferro, que fixasse em vossa consciência o "EU SOU" e que não pudésseis fugir do uso constante desta Grande Gloriosa Presença que sois.

Quando qualquer condição imperfeita aparecer em vossa experiência, declarai, veementemente, que não é verdade; que aceitais somente a Deus, a Perfeição em vossa vida. Cada vez e aceitais as falsas aparências; fareis com que elas se expressem e se manifestem em vossa vida e experiências. Não importa que creiais ou não no que estou vos dizendo, ISTO É UMA LEI comprovada através de anos de experiência. Hoje a entrega­mos a vós, para libertar-vos.

Vós sabeis que, no Mundo Ocidental, as pessoas gostam de enganarem-se com a idéia de que é suficiente apenas não acreditar (ou não aceitar) a antiga idéia oriental de bruxaria, para estar livre dela. A bruxaria não é senão o mau uso dos poderes espirituais, os mesmos que são usados para o bem. A pior classe de bruxaria é empregada, hoje, pela política, com o uso do poder mental mal qualificado.

Se essa mesma tremenda força fosse usada em sentido inverso, ou seja, para recordar que a Ação de Deus está em cada pessoa que ocupa um posto oficial, aquele que a empregasse desta forma positiva, não somente libertaria a si mesmo, como, também, preencheria o mundo político de liberdade e justiça; viveriam os humanos em um mundo natural, onde a Ação de Deus seria predominante em todos os momentos.

Como foi no Egito é hoje: Aqueles que usam mal o poder da mente prendem-se eles mesmos na desarmonia, encarnação após encarnação. Fazei vós o seguinte propósito: "Eu não aceito nem adoto condições do ambiente alheio ou de nada do que me rodeia. Só de Deus, do Bem e do meu "EU SOU".

Precisais adquirir o hábito de governar vossa energia. Sentai, várias vezes ao dia, e aquietai-vos, aquietai vosso ser externo. Isto permitirá que vos supreis com a devida energia. Aprendei a ordená-la e controlá-la; caso quiserdes que ela (a vossa energia) esteja calma, mantende-vos quietos; se a necessitais ativa, ponde-vos ativos. Tendes que enfrentar as coisas e elevar-vos acima delas.

O estudante deve estar alerta para reconhecer, em si mesmo, os seus hábitos; não deve esperar que alguém aponte seus defeitos. Deve examinar-se e eliminar tudo o que não seja perfeito. A forma de conseguir é declarando que não se tem tal hábito indesejável. "Logo, sendo EU criação de Deus, sou Filho de Deus Perfeito ". Isto traz uma liberação que não é possível conseguir de nenhuma outra forma. Permanecer com velhos costumes, é como vestir-se com uma roupa antiga. Lembrai-vos: Ninguém pode fazer nada por vós, deveis fazê-lo por vós mesmos. Neste trabalho, neste ensinamento e nesta radiação, todas as coisas velhas no indivíduo saem para serem consumidas. Antes de queixar-vos de cada coisa que experimentais em vós e em vosso mundo, lembrai-vos que elas vêm para que as quiteis e as transmuteis.

Tende cuidado em não fixar a atenção naquelas coisas das quais quereis livrar-vos. É ridículo estar lembrando de acontecimentos que não deram certo. Não é algo maravilhoso que, depois dos séculos em que estivestes construindo limitações, possais, em pouco tempo, extirpá-las e libertar-vos através de vossa própria atenção e esforço? Não vale a pena?! A forma mais rápida de consegui-lo é empregando o humor. A sensação leve que dá a alegria permite fazerdes maravilhosas manifestações. Se vos empenhais em invocar a Lei do Perdão, podeis consumir todas as más criações do passado com a Chama Violeta Transmutadora e sereis livres. Deveis ter consciência de que a Chama Violeta é a Ativa Presença de Deus agindo.

Quando sentirdes desejo de fazer algo construtivo, esforçai­vos, com todo empenho, para consegui-lo, mesmo que o mundo caia ao vosso redor. Mesmo que não presencieis a manifestação, não deveis preocupar-vos. Ainda que os estudantes somente conheçam as coisas intelectualmente, não devem permitir que suas mentes voltem às condições más ou erradas do passado, já que eles sabem que tal recordação acaba com todo êxito. É incrível que as pessoas não dominem este inimigo. Nenhum estudante pode triunfar, até que deixe de voltar-se às condições negativas que está tratando de superar.

O trabalho íntegro de um Mestre é tratar de fazer compreender ao estudante o que significa aceitar. Aquilo com que o indivíduo está de acordo mentalmente será aceito por ele. Se ele prende a sua atenção em uma coisa, está fazendo ou unificando-se com ela, identificando-se com aquilo de mau ou bom em que se fixou. Quando a mente aceita ou está de acordo com alguma coisa ou condição, está decretando essa condição em seu mundo. A tudo que escutais ou que meditais com atenção, estareis aceitando, pondo-vos de acordo, identificando-vos com esse algo, em virtude de vossa atenção. Acreditais que um homem, que vê uma serpente cascavel enroscada, caminha deliberadamente para ela, para que o ataque? Lógico que não! Pois é isto que os estudantes fazem quando permitem que sua atenção retorne aos antigos problemas.

A atividade interior governa de acordo com o Plano da Perfeição. O exterior, quando o deixamos agir, sempre governa errada­mente. Quando um quadro construtivo ilumina-se em vossa mente, torna-se uma realidade. E essa realidade surge sempre que mantiverdes esse quadro em vossa lembrança. É possível fazer-vos tão conscientes da Presença de Deus, que, a qualquer momento, podereis ver e sentir Sua Radiação derramando-se em vós.

Pra tudo que ele não quer, o estudante demonstra a confiança no mundo exterior, porém, para tudo o que deseja deve obrigar-se a ter a mesma confiança que tem no espiritual. Deve sempre confiar em si mesmo, e deve pensar: "Como posso usar as indicações que me foram dadas, a fim de intensificar esta atividade?"

A humanidade deve ser informada que os habitantes das cidades morrem e reencarnam no mesmo lugar muitas vezes, porque formaram raízes que os atraem novamente ao mesmo lugar. O estudante que tem que reencarnar deve dar a seguinte ordem: "Na próxima vez, nascerei em uma família de grande Luz. Isto abrirá rapidamente a porta para seu progresso."

 

 

 


hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano