RUY VENTURA
HABITAÇÃO DO TEMPO
regresso
(para António Cândido Franco)

depositaste na pedra
o teu olhar sem sombra
para melhor suportares
o peso desses ombros,
recuperando a cinza
que ficou sobre o oceano.

(assaltam-te vozes
e corpos sem saudade.
tento afastá-los
projectando sombras
nestes muros sem tinta.)

não carregas o mundo.
não sobes ao alto da montanha.
não defendes o tecto desta casa –
que hoje te pertence
na areia do deserto.

regressarias –
não tivesses sobre os ossos
o chumbo do nascimento,

essa armadura que te sepulta
entre fome e fogo,
entre fogo e fortaleza.

 

Lagos -
“Dom Sebastião”,
escultura em pedra de João Cutileiro (1970)

 

 




 



hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano