Pedro Nobre
Reflexos
NA SOMBRA DA PRAIA

Estendido sobre a minha toalha

No meio do extenso areal

Onde todos se deleitam com o calor enviado pelo sol

Uns de pele mais clara, outros de pele mais morena

O aroma dos protectores solares paira no ar

As gargalhas, os pulos de crianças a brincar

Ao longe, quase a perder de vista, uma traineira

Gaivotas, parecendo fazer escolta.

A água do mar está serena e de temperatura agradável

Como é bom aqui estar, poder sentir e observar

A minha mente já está a começar a navegar

Em encontro do mundo que ninguém vê

A pensar naquilo que te faz infeliz

Os dissabores, as tristezas, o mundo…

As sombras da minha vida

Mas nunca me irão deixar viver em paz?

Ando farto da vossa companhia

Ainda por cima, ninguém vos convidou…

Sinto-me tão infeliz…

Desejo tudo e nada tenho

Ou melhor, o que ambiciono ter

Centenas são as pessoas que me rodeiam

Será que pensam ou têm os mesmos problemas que eu?

Os seus rostos mostram satisfação e alegria

Ou usam as mesmas máscaras que eu?

Somos todos iguais…

Cada um com o seu(s) problema(s)

Uns têm tudo, são tristes

Outros nada têm, tristes são.

Aqui somos todos iguais

Não havendo diferenças de classes sociais

Deitamo-nos todos na mesma areia

Vamos a banhos à mesma água

Bronzeamo-nos com o mesmo sol.

Mas não conhecemos ninguém

Cruzam-se olhares

Conversas soltas surgem

Ao lado de estranhos nos deitamos

A praia é milagreira

Tornando-a na verdadeira essência humana

Natureza e seres vivos juntos num só

Mas, quando voltamos ao nosso pequeno mundo

Nos esquecemos destes momentos

Sem classes sociais, nem preconceitos

Uns mais vestidos, outros semi-nus ou quase nus

E assim na sombra da praia

Descrevo o que vejo e o que penso

O que todos sabem, mas não fazem lema de vida…

 

 




 



hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano