Pedro Nobre
Reflexos

SILHUETA

No escuro do meu quarto

Fecho os olhos

Começo a sonhar

Estava num local desconhecido

Ao longe, uma silhueta aproxima-se

Esbelto é o seu corpo

Os seus cabelos longos

Uma brisa se levanta

O raiar do sol

Incidindo sobre ela

Dando-lhe vitalidade.

Dirigiu-se a mim

Perguntei-lhe o nome dela

Ela sorriu-me

Subi ao céu

Ela fugiu em direcção do mar

A minha tensão subiu

Ultrapassando o meu eu

Pisei as suas pegadas na areia

Ela entrou no mar

Eu na areia me sentei

E pus-me a observá-la

Será que estou a sonhar?

Não devo estar

Mas a praia está deserta

Só estou eu e tu

Levanto-me e vou dar um mergulho

Nado em tua direcção

Mas tu nadas-te mais rápido que eu

Cansado de te nadar parei

A tua silhueta

Já a perder de vista

Continuo a nadar

Dei-te um grito:

AMO-TE

Nesse momento acordo

Do meu sonho

Concretizar-se-á ele?

 

 




 



hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano