Procurar imagens
     
Procurar textos
 

 

 

 

 


 

 

LUÍS SERRANO
Arte poética 1
Nous n’avons qu’une ressouce avec la
mort: faire de l’art avant elle.
René Char, Quitter

Com palavras
recuso a morte

traves perpetuadas
pela finitude

pedras
onde os sons
se aglutinam
como bichos
de uma vasta
e antiga
transumância

Com palavras
me desvio
desse lume
apagado
e
louco

previno a lenta
corrosão do ser

o instante
em que luz e sombra
se anulam
definitivamente

Com palavras
ardem os ventos
nas galerias
infindáveis
do texto


onde confluem
desertos e rios

e a memória
não é mais
do que o sal
que resta
dum tempo
perseguido

 
in Entre Sono e Abandono, 1990
 

 




 

 



hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano