Procurar textos
 
 

 

 

 







JORGE DE SENA...

Como velhice esta agonia desce

Como velhice esta agonia desce

ao fundo em que me encontro só comigo.

E quanto amor trocara então contigo

enfim te dando o que sonhara em anos

se torna apenas máscara de enganos

com que te aceito, como amor antigo,

esse momento de ansiedade e perigo

que no teu rosto as rugas te recresce.

Tu sabes que de perto a juventude

se te queimou no acaso das entregas;

e quanto risco a tua imagem corre

quando não está tão longe que me Ilude,

mas já tão perto que de ciência chegas

a presumir a graça que não morre.

Mas porque sabes, tua graça negas.

25/2/1965

Jorge de Sena
Poesia III
Edições 70, Lisboa, 1989

 

   
   

 

 

 


hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano