Inês*Pedro

Inês*Pedro*Amor*Paixão
Poesia Vadia: Cristina Vieira, Jorge Casimiro, Jorge Castro, Júlia Lello, Lurdes Mendes da Costa, Marta David, Pedro Laranjeira, Pedro Mota, Policarpo Nóbrega

Lisboa, Apenas Livros Lda, 2005
Col. literatralhas NOBELizáveis
Extra Colecção 1, Dirigida por Luís Filipe Coelho

TEMPO EMARANHADO
Pedro Mota

O tempo é uma corda esticada
Onde, lúgubres, se tangem os gemidos da minha alma.

O tempo é uma grande pedra a ser empurrada
Até ao cume do dia, mas o curto descanso do sono
Fá-Ia rolar de novo até à base da dormência.

O tempo é um ralo, onde se sorvem os sonhos desfeitos,
Onde se escoam os laivos da minha demência.

A breve trégua do sono é onde a dor recupera o fôlego,
E volta retemperada, voraz, com a sua bocarra hiante.

O tempo... o tempo é cada vez mais cinzento.

Edição comemorativa do 650º aniversário da morte de Inês de Castro
 

 




 



hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano