Procurar imagens
     
Procurar textos
 

 

 

 

 


 

 

GABRIELA MARTINS
En tarde ser
en tarde ser

-o poeta.pintor

estava morto

era esse o seu estado

morto

A sua passagem havia sido feita de um modo pacífico

ninguém interferira

nem a morte

entre ele e ela havia sido decretado o estado de união perfeita

sentia.a presente no corpo da mulher que respirava colada a si

era noite

finalmente sabia.se na efabulação de onde não queria sair

alguém vivia em si

haviam.no proscrito mas a sua imagem colara.se ao abismo da mulher prenhe de desejo

entre ambos não havia nem antes nem depois

apenas o ser um corpo um barco

A casa havia sido o seu corpo

preferia.se dentro das nuvens que reproduziam a imagem das mulheres

que amara e que havia de amar

[um dia ao en tarde ser reviu.a

apenas uma mulher dentro de muitas

as mãos tremeram os lábios sussurraram os olhos devastaram as estrelas

abertas ao bater das horas

houve.se fogo depois do gelo

fez.se poeta / pintor]

escrita no seu tempo de agora

queria.a em si

devia.lhe o poema escrito a ferros

alguém o havia de ler no brilho dos seus olhos

as mulheres não paravam de morrer dentro de si

as mulheres não paravam de viver em si

no tempo dos quadros concebidos através do palato

dos dedos que se recusavam a pintar

das mãos que não ousavam os pincéis

dos braços que escusavam os abraços

do corpo que se recusava a amar

estendia a mão e tacteava o corpo da mulher

agasalhava.se no corpo da mulher

tinha.se no equilíbrio instável da mulher

onde iria pintar o poema

gabriela rocha martins (Maria Gabriela Rocha de Gouveia Martins) nasceu em Faro, no inverno de 1948.

Foi representante no Algarve da Fundação Natália Correia; é membro da Sociedade de Língua Portuguesa; sócia da Associação de Bibliotecários, Arquivistas e Documentalistas; sócia fundadora ( como Escritora ) da Associação de Jornalistas e Escritores do Algarve (AJEA) e presidente da direcção do Prémio Litterarius, Racal Clube

 

Habilitações Académicasformação na área do  Direito (Universidade Clássica de Lisboa ) e em Ciências da Documentação ( nas áreas de Bibliotecas e Centros de Documentação ).

Publicações

Ensaio  obra vária;

Comunicações em Congressos, Conferências e Encontros, nacionais e internacionais;

Correspondente redactorial do Jornal “Letras e Letras”;

Artigos em Revistas;

Crónicas em Jornais;

 

Poesia – premiada em vários concursos nacionais.

                 Em 2005 e 2008, integrou as Antologias da II e da III Bienais de Poesia de Silves

                 Encontra.se, igualmente, representada na I Antologia de Poetas Lusófonos, Ed. Folheto, Edições & Design, 2008.

Obra Editada:

 Inquietação” – poesia e conto. Editorial Minerva, 2006

“Poiesis” ,  Vol. XIVpoesia.  Editorial Minerva, 2006

“Poiesis” – Vol. XV – poesia . Editorial Minerva, 2007

.delete.me. – poesia .Folheto, Edições & Design, 2008

 

Revista Litterariuspoesia e conto . Imagem Local, 2007

Revista Oficina da Poesia ( no prelo )

 

Representada no poema “O Estado do Mundo”, criado no ciberespaço, 2003

Representada, como membro efectivo, em http://poetasdelmundo.com, Europa, Portugal.

Representada em http://harmoniadomundo.net, Poesia

 

Páginas Web

http://cantochao.blogspot.com – canto.chão

http://teh-last-dance.blogspot.com – the last dance

http://ksar-ash-sharajibe.blogspot.com – ksar ash.sharajibe 2

 

 
SILVES, CAPITAL DA PALAVRA ARDENTE

 




hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano