Procurar imagens
     
Procurar textos
 

 

 

 

 


 

 

FERNANDO AGUIAR
“PELOS CONTORNOS DA LUZ”

Inaugura no próximo dia 2 de Fevereiro a exposição “PELOS CONTORNOS DA LUZ”, de Fernando Aguiar, que ficará patente ao público até ao final de Março no Centro Cultural Raiano, em Idanha-a-Nova.                                

“PELOS CONTORNOS DA LUZ” integra obras de fotografia, instalações, vídeos, um poema esculpido em granito e um projecto de Land-Art a ser realizado durante o primeiro mês da exposição.

“Montes Claros” é o título de um conjunto de 47 fotografias de fachadas de lojas no centro desta cidade brasileira, repletas de palavras e de frases curtas como a sua designação, marcas comerciais, serviços prestados, etc., de onde emerge uma visualidade poética com uma estética muito característica naquela região mineira.  

"MONTES CLAROS", 2005, Fotografia, 58 x 63 cm  

"TGV LIGHT" com o "SONETO DO TGV LIGHT" ao fundo

“TGV Light” e “Soneto do TGV Light” são instalações que fazem referência a uma questão que tem sido largamente discutida e dividido opiniões, e representa metaforicamente uma outra leitura deste assunto que está longe de ser consensual.

Os vídeos apresentados nesta mostra foram realizados nos últimos 2 anos em Lisboa e em Diamantina, no Brasil, e reflectem a prática performática de Fernando Aguiar, à qual se tem dedicado desde o início dos anos 80.

O “Soneto Ecológico II”, a ser concretizado durante a exposição, é uma obra poética e de Land-Art que terá cerca de 50 x 18 metros. É um poema sobre a natureza “escrito” com elementos da própria natureza: árvores. Trata-se de uma instalação ambiental constituída por 70 árvores organizadas por 14 filas com 5 árvores cada uma, correspondentes aos 14 versos da estrutura do soneto, distribuídas por duas quadras e por dois tercetos (4+4+3+3). É também um soneto vivo, que respira e que se vai modificando visualmente porque está em permanente crescimento e transformação. A esta dimensão poética acrescenta-se uma vertente lúdica pela possibilidade de se poder entrar literalmente no poema, e pretende estimular também uma reflexão sobre as inúmeras agressões que quotidianamente se praticam contra o ambiente.

Este projecto, que inicialmente era para ser realizado numa das salas do Centro Cultural Raiano, numa escala mais reduzidas, está a ser concretizado no exterior, à semelhança do “Soneto Ecológico” plantado em 2005 em Matosinhos, que com 110x36 metros, é provavelmente a maior obra de Land Art realizada em Portugal, e seguramente o maior soneto do mundo.                                 

Fernando Aguiar realizou  32 exposições individuais em Portugal, Espanha, Itália, Hungria, Polónia, e no México, e nos últimos anos participou em exposições colectivas no Museu de Serralves (Porto), Museu Vostell Malpartida (Cáceres), Museo Ideale Leonardo da Vinci (Itália) e no Centro Andaluz de Arte Contemporâneo (Sevilha). São ainda de referir as suas participações em Festivais na secção “Extra 50” da 50ª. Bienal de Veneza, na 8ª. Bienal de Havana (Cuba), no IVAM – Institut Valencià D’Art Modern (Valência), Musée D’Art Comteporain (Marselha), Hong Kong Arts Centre (Hong Kong), Círculo de Bellas Artes de Madrid, e no Reykjavik Art Museum (Islândia).
 
 

 




 



hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano