Procurar textos
 
 

 

 

 







ANTÓNIO VERA
HOMENAGEM A SOPHIA DE MELLO BREYNER
 
 

face de renascente claridade
que iluminaste a terra
dia a dia
com luz de mar
pétalas
algas
liberdade

mais o nome que usaste:
o de Sophia

faz-me oferta dum pouco
da pureza
que tomaste das conchas
e ervas bravas
para que eu me refresque
na alegria
de saber
de poder
de longe
e de tão perto
saudar-te

dá-me o segredo
da férvida cal
que tu lançaste
sobre os podres ventres
podres caras
de vendilhões do templo
desta Pátria

desse cantar a rua
o povo
sem alarde
com a ternura sóbria
que só tu sabias
que só tu usaste..
........................................................................................

.
Julho 2004
António Vera
   
   

 

 

 


hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano