Procurar textos
 
 

 

 

 

 






ANTÓNIO CARDOSO PINTO
A Rosa
 

Não é difícil imaginar que tenha sido uma Rosa a flor que Coleridge terá recebido em sonho no Paraíso, e que, de manhã ao despertar, na sua mão repousava ...

Impressionado, Jorge Luis Borges divulga o sonho do poeta inglês e fala-nos, também ele, duma Rosa que terá iluminado o último instante de Giambatista Marino - e, antes dele..., quem sabe, de Dante e de Homero.

E vem Herberto Helder, e diz: " Vi as catedrais florescerem como roseiras divagando as suas altas rosas. " E pergunta: " Porque as faz Deus tremer e morrer, no fundo do seu perfume ?" - e, conclui: " Que o vento me arraste sobre as constelações azuis, as mais jovens estrelas - a mim, rosa de mim - mesmo cravada nos altos labirintos e nos enigmas mortais. "

Fernado Pessoa utiliza maiúsculas para desocultar a flor :

Segredo visível, Rosa crucificada, Mysterio e Nome do Mundo,
olha-me para que eu te veja, crucifica-me para que eu te colha,
torna-me mundo para que eu te oiça e desconheça!

Rosa, sê eu; Cruz, sê minha; Rosea Cruz, sê !



sê eu !


*

... * estará nesta Rosa no seu perfume na sua cor na sua harmonia
todo o segredo do Universo ? * .

António Cardoso Pinto

Natural de Malanje - Angola (07.12.45). Estudou em Tomar e ingressou na Rádio, em Fevereiro de 1965, na Emissora Oficial de Angola, em Luanda. Responsável pela abertura dos Emissores Regionais de Cabinda (1970/72) e de Dalatando, (1972/75).

Em Lisboa, em 1976, depois de uma breve passagem pela redacção do jornal “A Luta”, volta à rádio, ingressando nos quadros da RDP – Antena 1, como jornalista, mais tarde como editor do “ Último Jornal ” e, depois, como realizador do programa: “ Nau Catrineta ”. Fez parte do Conselho de Imprensa e foi vice-presidente do Clube dos Jornalistas .

Na Direcção de Programas da Antena 1, integra a equipa do programa “ Imaginário ”, durante 5 anos. Vai para Oriente - Rádio Macau - em 1990, regressando à Antena 2 em 1995, onde realiza o programa “ Reflexos ”. No ano seguinte é convidado a integrar a estrutura da Antena 1 , como chefe do Departamento de Programas , sendo responsável também por um programa diário de divulgação da Poesia: “ À Esquina da Um ”- 1996/98, “ À Esquina do Século ” - 1999 e “ À Esquina do Mundo ” - 2000/2003. No Arquivo Histórico da RDP existem mais de dois mil registos sonoros por si realizados. Em Junho de 2002 acumula, em regime de interinidade, o cargo de Director da Antena 1, que veio a abandonar em 31 de Janeiro de 2003.

Vê publicado, em Março de 1999, o seu primeiro livro de poemas: “ A Lua dos Astronautas não é a Minha Lua ”, com edição da Gradiva. Em Setembro de 2002 é lançado pelo Orpheu Digital, Caxias do Sul, Brasil, o livro de poemas: “Reflexos” - edição bilingue: português e espanhol (tradução de Lorenzo Pellegrin) - com distribuição na América Latina e Espanha.

http://antoniocp.multiply.com/  
   

 

 

 


hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano