ANA PINTO
A ponte

Arquitecto a ponte dos planaltos
Flanco e aliança de dois mundos, recta
e plástica em seus metais e filigrana.
Sustidas margens, raiadas pelo cerúleo e pelo nácar,
Dela se erguem os Titãs e o rio e a memória.

Ponte onde a tua imagem é água límpida, onde o céu resvala
pelo vácuo das estrelas, ponte aérea e elíptica.  
Ponte onde te chamo.  

Abissal alicerce, sobre ti
trespassam alados sedentos da foz.
E dou-te as mãos. A estrutura. O compasso.  

Assim te ergo da gravidade úbere contra a grande massa 
celeste – ergo-te como um sonho.
Desde as nebulosas, viajo. Por onde o céu se derruba 
em reflexos cúbicos, por onde desce azul a música, viajo.

Ponte que une dois mundos como um beijo:
ocultamente habito-te – desde a margem, cascata 
granítica - aos teus lapidados jardins circulares.

 
Ana Pinto
A Ponte
Poema e Pintura

- Ana Pinto é artista plástica, abrangendo as áreas de pintura sobre tela, ilustração e cerâmica.

- Como artista plástica está representada em várias colecções particulares em Portugal e no estrangeiro.

 - Formada em Conservação e Restauro de Pintura de Cavalete.

- Também com formação técnica em cerâmica e pintura de azulejos, assim como formação técnica e prática em restauro de bens arqueológicos.

- Escreve poesia desde muito jovem. Em 2004 foi galardoada com o prémio Revelação em Poesia, pela Associação Portuguesa de Escritores (APE) e pelo Instituto Português do livro (IPLB), com o livro “ O pólen do silêncio”.

- A sua escrita, de diversas temáticas, incide também em temas clássicos e mitológicos.

 

 




 



hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano