Paulo Brito e Abreu.........
PREMENTEMENTE
 
É tempo da Poesia
das águias e condores
de grinaldas enfeitando
os santos animaizinhos
Tempo é mia querida minha
de cabouqueiros cabritinhas
Cavaleiros do Amor
Abre agora os teus braços
e recebe as corolas do homem na Lua
As loas dourando a gipsófila gentil
Uma palma e a Vitória
o vilancete vila-novense
Os Apóstolos do Messias
Que falam Pacifistas
A liga a ligação e as línguas do porvir
Minhas miríades milénios
milhares de laudas sim
os hípicos mates nos «hippies» da sina
Que é tempo de alor multicolor
do risco ao meio ou do pão
É tempo, meu Amor, da Revolução.
 
 
Vila Nova de Gaia, 8/12/2007
PAULO JORGE BRITO E ABREU
 
 
 
 
 

 




 



hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano