Paulo Brito e Abreu.........

A ACÇÃO DE GRAÇAS

  para José Augusto Mourão

para a mística Rosa da Fraternidade

 

  I

 

Eis a Luz, o dilecto,

Que Ele é cântico e terso,

Ele é grande Arquitecto

Do nosso Universo.

 

Eis as Copas, o sino,

Que ela canta na ria:

Traz ao colo o Menino

A Virgem Maria.

 

Eis a Festa, eis a Fada.

És Amor? És almeia?

És a Cruz, a cruzada

Em cidade Ulisseia.

 

II

 

És a Flor, és a flava,

Te joeiro em giolhos:

Sei que és a Palavra

E que mondas aos molhos.

 

E esse Nino, com folhos,

Não são fólios, canção:

«São graças dos olhos

Do meu coração.»

 

Nota do Autor: nos dous últimos versos da última quadra, a citação, reverente, de Luís de Camões, é puramente intencional.

 

Queluz, 05/ 10/ 2010

 

COOPERATORES VERITATIS

 

PAULO JORGE BRITO E ABREU

 
 
 

 




 



hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano