Paulo Brito e Abreu

NA PARTIDA DA SENHORA BEATRIZ

in memoriam de Ulisses Duarte

in memoriam de Agostinho Maldonado

à Mariana Cardoso

 Amada Beatriz, que em tua Sorte

Sofreste cá da mágoa o cruel gume,

Repousa lá no Céu, sem azedume,

E viva eu de saudades e de morte.

 

Se lá, no divo assento, onde és tu Norte,

Memória desta vida se presume,

Tu dá-nos, lá do Céu, teu vivo lume

E pede ao Pai que a dor, a pena corte.

 

E se vires que ali podes lembrar-te,

Amada Beatriz, no teu fulgor,

Dos filhos e dos netos por quem Marte

 

E Apolo e Vénus foram teu louvor,

Diz a Deus, diz a Deus, que Ele também parte

Quando parte uma esposa do Senhor.

 

Lisboa, 15/03/1992.

 

PAULO JORGE BRITO E ABREU   

 
 
 

 




 



hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano