Procurar textos
 
 

 

 

 

 






A. MEIRELES GRAÇA
Metido num barco assim
Metido num barco assim

Sem leme, remos ou velas

Vendo secar meu jardim

Apenas peço a Bruxelas

Com toda a sinceridade

E um tanto carrancudo

Que me dê a Liberdade

E me devolva o Escudo!

Sinto o Povo sem Nação

E tanta revolta e dor…

Que à Euro Constituição

Darei um NÃO sem favor!

Almeir
Guimarães, 2
   
   

 

 

 


hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano