Procurar textos
 
 

 

 

 

 






A. MEIRELES GRAÇA
Continua a garimpar!

A arte de garimpar

Tem muito que se lhe diga

Pois um tesouro encontrar

É ambição tão antiga

Que nasce mesmo na gente:

Pega tua cuia agora

E vai pelo rio fora

A recolher tua areia…

Mas sempre menos de meia

Porque mais não se consente!

Depois agita um bocado

E quando o lodo vazado

Repara se um brilhar

Nas areias vês raiar

À luz do sol tão bonita…

Nada vês? É natural!

É uma lei desta vida:

Na grossa areia afinal

Bem pode estar escondida

A desejada pepita!

Remexe mui de cautela

Toda a areia que presente

Esteja em tua gamela

Pois só homem paciente

Pode encontrar um tesouro…

E passa tranquilamente

Os grãos de areia nos dedos:

Pode surgir de repente

A brilhar entre teus medos

A tua pepita de ouro!

Se nada alfim encontrares

Não desistas dos vagares

Que puseste em tua busca:

Só devagar se rebusca

Na vida a Felicidade!

Depois, se a Morte chegar

Antes mesmo do tesouro

Na tua cuía brilhar

Não te afogues no agouro

Da tua infelicidade…

Tu teimaste no garimpo

E persististe em teimar

Ao fazer o jogo limpo

De uma pepita encontrar

Nas areias do teu rio!

Levanta pois teu olhar

E na gamela do céu

Decerto irás encontrar

A pepita que achei eu:

O quente sol do estio…

Porque repara meu filho:

O verdadeiro tesouro

Reside bem mais no brilho

Que na matéria do ouro…

Continua a garimpar!

 
 
   
   

 

 

 


hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano