Tomas Tranströmer
Março de 79 - Elegia
(Selecção e tradução de Luís Costa)

Março de 79

Farto de todos aqueles que com palavras fazem palavras
[mas onde não há uma linguagem,
Dirigi-me para a ilha coberta de neve.
A veação não conhece palavras.
As páginas em branco dispersam-se em todas as direcções.
Eu dei com vestígios de cascos de corça na neve.
Linguagem, mas nenhuma palavra.

     
Elegia

Abro a primeira porta.
É um enorme quarto repleto de sol.
Um camião passa pela estrada
e faz com que a porcelana estremeça.

Abro a segunda porta.
Amigos! Bebestes da escuridão
e tornaste-vos visíveis.

Terceira porta. Um estreito quarto de hotel.
Vista sobre um beco.
Uma lanterna que brilha no asfalto.
Descobertas: belas escórias.

Origem: Sämtliche Gedichte ( Poesia completa ), Edition Akzente Hanser, 1997, tradução do sueco para o alemão por Hans Grössel.

Tomas Tranströmer nasceu a 15 de Abril de 1931 em Estocolmo. É hoje considerado o mais importante poeta sueco da actualidade. Os seus poemas estão traduzidos em mais de trinta línguas. Além disso é considerado, desde há vários anos, como um dos favoritos ao Prémio Nobel da Literatura.
 

 

 

 




 



hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano