::::::::::::::::::::Rubén Mejía:
eXpírito - multiversos (seleção)



RUBÉN MEJÍA
Expírito - multiversos
Apresentação de Jorge Aguilar Mora
Tradução de Floriano Martins

São Paulo, Escrituras Editora, 2007

A folha em
branco

«Nada por aqui… nada por cá»

E as manchas de tinta iniciam uma tênue aparição e sua expansão caótica e transbordante pelos leitos desta folha

- um branco em movimento

São silhuetas de letras sombras em relevo fantasmas em sua fase terminal as primeiras garatujas onde inicia e conclui toda escritura a crista da onda que vibra ainda na espiral do caracol um elétron saltando no vazio e dizendo-nos em um segundo (menos dez zeros) que não há tal vazio um gato encerrado metade vivo: metade morto contando-nos seu último sonho quântico reflexos do tempo presente que é presente na implosão do instante o houvera: conjunção de verbos e silêncios a folha da árvore que em sua queda arrasta o bosque inteiro minha chama que nadar sabe apenas em teu fogo gotas do rio: holografias do poema que agora escrevo com tua mão

 

Formas flutuando: expírito de Deus

 

Para o poeta - a única folha em branco é seu próprio nada

 

 

 

 




 



hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano