Maria Bispo:
Nem por isso

INDEX

lacer ouros

 

ouvi as estrelas brilharem

muita noite

vou lavar os dentes

espremi palavras para a escova

esfreguei

esfreguei

as gengivas sangraram

cuspi

o sangue

a água

os restos de comida

e as sílabas

não aproveitaste nada

bochechei

e outra vez

porque hei-de lavar os dentes

se não és a minha escova

e já não tenho palavras  

 

berlengas 25 de dezembro de 2007

Maria Teresa Bispo . Licenciada em História pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa; Mestre em Arte, Património e Restauro pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa; Bolseira da Fundação Calouste de Gulbenkian; Formadora para a área do Património Artístico e Cultural das Cidades e para a área do Voluntariado Cultural; Técnica Superior Assessora do Departamento de Património Cultural da Câmara Municipal de Lisboa; Coordenação da Colecção "Lisboa, Arte e Património" da Câmara Municipal de Lisboa; Coordenação de trabalhos de conservação e restauro em Arte Pública e Património de que se destacam o Teatro Municipal S. Luiz, Teatro Nacional D. Maria II, D. Pedro IV e Fonte do Neptuno; entre os últimos trabalhos publicados refere-se "Sobre Arte Pública, Lisboa e os seus Cultos", Associação de Arqueólogos Portugueses, 2000; em co-autoria, "Estatuária e Escultura Urbana de Lisboa: Roteiro", Câmara Municipal de Lisboa, 2005; "O Lugar do Plinto: Nexo. Propósito e Devir" in ARTIS - Revista do Instituto de História da Arte da Faculdade de Letras de Lisboa, nº 5, 2006 e "Escultura Urbana e Esfera Pública: Esquisso para uma Dialéctica da Ambiguidade" in FORUM SOCIOLÓGICO, nº 15/16, 2006; entre outras, participou com as seguintes comunicações "Arte Pública e Património: Dialéctica entre Substância e Praxis", Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, 2005"; em co-autoria "A Singularidade do Lugar Comum: Algumas Acções de Divulgação de Arte Pública", Casa da Cerca, 2006 e "Entre o Movimento e o Estabilizado: O Paradigma da Rotunda" ISCTE no âmbito do FICYUrb, Junho 2007.

Na lírica publicou "Pedaços de Ontem", Eurosigno, 1992 e alguns poemas em antologia. Prefaciou diversas obras dedicadas ao tema da Surdez.

 

 

 

 




 



hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano