:::::::::::::::::::::LUÍS COSTA::::::::::::
O LIVRO EXUMADO
(XLIV POEMAS) - Index
Frederico Hölderlin

Se bem me lembro, Frederico tinha duas camisas rendadas.
Uma preta, bordada a ouro e outra toda cor-de-rosa.
  A preta era a sua preferida.
Era com esta vestida que sentia o mundo, com os dentes,
no seu pulsar matricial.
  E sempre que Diotima visitava Frederico,  o mar seguia-a.
E sem que ela desse por isso entrava na cozinha.
Então acocorava-se detrás da porta.
E ficava ali muito quietinho, horas e horas a fio,
ouvindo Hölderlin, recitando os seus hinos.
Era como um Vintage das melhores castas, à espera do tempo...
  E  as estrelas bailavam à tona da água e gôndolas carregadas
de  ouro apareciam,
  por um momento, por entre o crepitar das metáforas.

 
 

 

 

 




 



hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano