:::::::::::::::::::::LUÍS COSTA::::::::::::
Arte poética

Nos bosques das
madrugadas do verão
colhes nevoeiros
É que o poema também
precisa disso
para que o verso
tenha dureza e elasticidade

Depois retesas o arco
e o horizonte vibra em
suas etéreas arcadas
A liberdade é agora uma
antiga praça
Ao centro, um fontanário
e sorridentes crianças


Luís Costa, XXVI. VII . MMVII

Luís Costa. Escritor português, nascido a 17 de Abril de 1964 em Carregal do Sal, distrito de Viseu.
 

 

 

 




 



hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano