FRIEDRICH HÖLDERLIN
Cinco poemas de Friedrich Hölderlin

Origem: " Friedrich Hölderlin”, Gedichte”, Reihe Reclam, Phillipp Reclam 2000. Tradução de Luís Costa, Züschen MMVII
(Edição Bilingue)

Natureza e Arte ou Saturno e Júpiter

Tu governas sobre o dia e a tua lei floresce!

Tu seguras a balança, oh filho de Saturno!

E repartes os destinos e descansas, alegre,

Na glória da imortal arte de reinar.

 

Porém, os cantores dizem, para si, que outrora

Desterraste o santo pai, o teu próprio pai, para

O fundo do precipício, e lá em baixo, lá, onde

Reconheces todos os direitos aos selvagens,

 

O deus da idade do ouro lamenta-se, há tanto tempo:

Outrora, quando ainda não proferia mandamentos,

Nem nenhum dos mortais o tratava por nome,

Ele era, sem qualquer esforço, tão poderoso como tu.

 

Para baixo então! Ou não te envergonhes de agradecer!

Se queres ficar, serve o ancião, e concede-lhe, de boa

Vontade, que seja nomeado pelos cantores

Diante de deuses e homens!

 

Abre os olhos! Pois assim como o teu relâmpago

Vem das nuvens, também dele vem tudo quanto é teu.

E assim testemunha perante ele tudo quanto lhe roubaste,

E que da paz de Saturno todo o poder cresceu.

 

E tenha eu no coração um sensação viva

E escureça tudo quanto tu moldaste

E que o tempo de mudança haja adormecido,

Para meu belo prazer, no berço dela:

 

Então reconheço-te, filho de Cronos! Então escuto-te,

Sábio mestre, que tal como nós, filho do tempo,

Decretas leis, e , ao mesmo tempo, anuncias

O que o santo crepúsculo esconde.

Natur und Kunst oder Saturn und Jupiter

Du waltest hoch am Tag und es blühet dein
    Gesetz, du hältst die Waage, Saturnus Sohn!
        Und teilst die Los' und ruhest froh im
            Ruhm der unsterblichen Herrscherkünste.

Doch in den Abgrund, sagen die Sänger sich,
    Habst du den heilgen Vater, den eignen, einst
        Verwiesen und es jammre drunten,
            Da, wo die Wilden vor dir mit Recht sind,

Schuldlos der Gott der goldenen Zeit schon längst:
    Einst mühelos, und größer wie du, wenn schon
        Er kein Gebot aussprach und ihn der
            Sterblichen keiner mit Namen nannte.

Herab denn! oder schäme des Danks dich nicht!
    Und willst du bleiben, diene dem Älteren,
        Und gönn es ihm, daß ihn vor Allen,
            Götter und Menschen, der Sänger nenne!

Denn, wie aus dem Gewölke dein Blitz, so kömmt
    Von ihm, was dein ist, siehe! so zeugt von ihm,
        Was du gebeutst, und aus Saturnus
            Frieden ist jegliche Macht erwachsen.

Und hab ich erst am Herzen Lebendiges
    Gefühlt und dämmert, was du gestaltetest,
        Und war in ihrer Wiege mir in
            Wonne die wechselnde Zeit entschlummert:

Dann kenn ich dich, Kronion! dann hör ich dich,
    Den weisen Meister, welcher, wie wir, ein Sohn
        Der Zeit, Gesetze gibt und, was die
            Heilige Dämmerung birgt, verkündet.

Friedrich Hölderlin

Nasce a 20 de Março de 1770 em Lauffen, junto ao rio Neckar e falece a 7 de Junho de 1843 em Tübingen. Durante todo o século XIX ficou praticamente esquecido. Friedrich Nietzsche, porém, tem por ele uma grande admiração . Chama-o o seu “ liebling Dichter.” É já em pleno século XX que a sua poesia é redescoberta e valorizada. Hoje, Hölderlin é considerado um dos maiores poetas líricos da poesia alemã e universal. A sua obra tem na literatura alemã do fim do século XVIII princípios do XIX uma posição autónoma ao lado do Romantismo e do Classicismo de Weimar ( Goethe, Schiller ), então em voga.

Em 1807, Hölderlin enlouquece para sempre. Nos próximos 36 anos, até à data da sua morte, a 7 de Junho de 1843 , Hölderlin vai ficar entregue aos cuidados de um dos seus grandes admiradores (e sua esposa), o carpinteiro Ernst Zimmers.

 

 

 

 




 



hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano