:::::::::::::::::::::::::::::::::::::Henrique Dória
Mar de bronze

Olhai barqueiros

Regressemos ao mar da juventude

Verão, melancolia hermética

VERÃO, MELANC0LIA HERMÉTICA

Ardem sobre o mar
dunas, árvores, noras adormecidas.
As ondas abriram-se à passagem dos pobres
e as crianças que todo o Outono
choraram dentro das conchas
derramam na areia
o seu indiscernível sorriso.

Ao longe, alguém quis regressar
entre o início da noite,
trazer consigo uma lâmpada,
o som de um búzio no olhar.
Mas parece ter-se perdido
obcecado entre a dor
e o espanto das corças impacientes-
ele que parecia conhecer os caminhos
da floresta,
ele que parecia dirigir-se para o norte
das caleches douradas.

Passam cardumes de pequenas luas
pela abóbada da solidão.
Cavalos erguem um turbilhão de nevoeiro,
cavalos com sinais humanos, cavalos sangrentos.

HENRIQUE DÓRIA- Círculo da Terra
 

 

 




 



hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano