GERARD CALANDRE

VESTÍGIOS

Trad. Nicolau Saião

VESTÍGIOS - INDEX
ESTÁTUA

A música sobe, a música segura-nos

a música amplia-nos

Eis a paragem, o momento

em que a música mistura o bem e o mal

As notas propagam-se, substancia ou retorno

de sombras ecoadas numa parede rugosa

 

Eis que o vento acalmou. Fechamos a porta

encetamos a respiração, procuramos

uma figura já não inteira. De repente acordamos.

 

Já nada avança sem uma concentração oculta

um ar de crispação um arrepio

E então dizemos a manhã acabou

Algo se agita e gira como um farol

a casa conhece agora o seu lugar definitivo.

 

A música cessa. Pelas ruas

a chuva desaba e alguém fala. Alguém ri.

Em lugares sem referência passos se vão ouvindo

passos sobretudo impenetráveis. O silencio

 

faz anoitecer o mundo que se prepara.

Gérard Calandre nasceu em 1952, na Bretanha, França. Viveu na Itália, leccionando na cidade de Messina. De formação científica, tem-se mantido afastado do mundo das Letras. Autor do livro Vestígios, traduzido por Nicolau Saião e de textos esparsos sobre o seu ramo profissional. Visitou Portugal em 1992 e 1997. Após o falecimento de sua mulher foi viver para o Canadá francófono.

Tem colaboração nas revistas “Diversos” – dir. José Carlos Marques, “Bicicleta” – orientada por Manuel Almeida e Sousa, “Agulha”(Brasil) – dir. Cláudio Willer & Floriano Martins, etc..

NS

 
 

 

 

 




 



hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano