ANTONIO MIRANDA
Poemas inéditos
Pólen-poema

O poema como borboleta
que vive a segunda vida
do autor.

Liberta dele.

Como o tísico Bandeira
voou até Pasárgada?
Preso em sua crisálida
gerou seres alados.

Oscar Wilde, mesmo encarcerado,
era luminoso e transparente.
Versos, em seu rastro
inseminavam, multiplicavam,
davam cor ao universo.

Ovos, larvas, livros.
Borboletas são eternas?

Pó. Pólen. Palavras.
Poemas.

 

Brasília, 24-0-08

Antonio Miranda. Poeta, escritor  e escultor,  já publicou romances, poesias em vários países. Em 1966, por decisão própria, exilou-se para viver intensamente um período de efervescente agitação cultural na América Latina. Sua criatividade foi reconhecida com prêmios pela crítica internacional (Medellin - Colômbia, San Juan de Puerto Rico). Miranda viveu e publicou em Buenos Aires, Caracas, Bogotá e Londres. Tu País Está Feliz, peça de teatro baseado em seus poemas e músicas foi estreada em 1971, foi representada em mais de 20 países. Página do autor: www.antoniomiranda.com.br

Entrada no TriploV: 24.11.2008
 

 

 

 




 



hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano