ANTONIO MIRANDA
Poemas inéditos
Janela para dentro

pássaro adiantado no tempo
— o inverno anuncia dias calados.
Que me falem de ti, onde andas.
Sem notícias e mensagens.
Animais gregários, Sapatos gastos.

A janela olhando o horizonte,
o horizonte dentro da janela.
Olhando para dentro: sem você.
Quando aportaremos, seguros?
As paredes estalam. Estremecemos.
Nada além disso, é o bastante.

Hora impávida, ensimesmamento.
Deve haver outra saída mais adiante.
Uma chuva letárgica, atrasada
molha sem pressa, afogando
por onde passo, sem caminho
— ofegante, buscando sem saber,
sem saída, descalço — o dia em falso.
Talvez. Deve haver outra saída.

*  *  *

As nuvens espreitam a lo lejos
e me protege a sombra passageira.

Antonio Miranda. Poeta, escritor  e escultor,  já publicou romances, poesias em vários países. Em 1966, por decisão própria, exilou-se para viver intensamente um período de efervescente agitação cultural na América Latina. Sua criatividade foi reconhecida com prêmios pela crítica internacional (Medellin - Colômbia, San Juan de Puerto Rico). Miranda viveu e publicou em Buenos Aires, Caracas, Bogotá e Londres. Tu País Está Feliz, peça de teatro baseado em seus poemas e músicas foi estreada em 1971, foi representada em mais de 20 países. Página do autor: www.antoniomiranda.com.br

Entrada no TriploV: 24.11.2008
 

 

 

 




 



hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano