ANTÓNIO BOTTO
Ei-la!...

«Ei-la!...
Tu... avança! - Lá vai ela!
Corre!...
- Atira-te com alma!...
Defende-a... vamos! - então?
E a bola, ao entrar nas redes,
suspendeu a alegria muscular
e a juvenil vibração.

Estoiram as aclamações;
e a luz do sol enfraquece.

Mas o jogo novamente principia:
Os vermelhos
vão envolvendo os «leões»;
e o ataque,
bem marcado,
vai revelando a vitória
que, desenhada e conduzida
com rasgos da mais límpida nobreza,
atinge o seu máximo valor:
A bola, rápida, cai,
passando
por entre os braços erguidos
do garboso jogador.

Palmas, delírio - grandeza!
Alguém atira uma rosa
para os «onze» vencedores,
e ao longe o sol agoniza
numa boémia de cores.

Olimpíadas

 

 

 




 



hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano