powered by FreeFind

 

 

 

REVISTA TRIPLOV DE ARTES,
RELIGIÕES E CIÊNCIAS
Nova Série

 

 




 


A cobrita rateira

Ai ontem vieram chamar-me para levantar uma sineta ferrugenta que está ali no quintal porque debaixo se aninhava uma cobra e se calhar pensavam que eu me ia pôr aos gritos feita uma dessas Rolas-turcas que andam sempre por aí a debicar na horta mas eu fui logo buscar a máquina fotográfica não que não sou parva nem  nenhuma Streptopelia decaocto por isso primeiro fotografei a sineta para se ver onde estva o ninho e parece mesmo um ninho com umas palhinhas e depois quando levantei a sineta a cobrita fugiu mas ainda a consegui apanhar numa foto ela é muito corredia e escurinha de um dourado fundo e tem uma pele axadrezada logo se viu que era uma cobrinha bebé e eu bem queria saber a que espécie pertencia apesar de a foto ser muito má mas por isso mesmo que especialista poderia agora vir dizer que não é um juvenil de Malpolon monspessulanus a Cobra-rateira? Foi isso mesmo que garantiu a equipa de herpetologistas do sítio Naturdata que logo se apressaram a dar-me resposta e eu fiquei tão contente e acredito mesmo que é a Cobra-rateira porque uma vez um ratinho do campo entrou para a cozinha e eu vi-me aflita para o mandar embora e nunca mais tive sinal de ratos na cozinha deve ser por causa das Malpolon monspessulanus ainda bem são lindas e mais úteis do que os gatos também há gatos meio bravios por aqui mas esses são abomináveis gatos das neves brancos manchados de preto e uma vez estava aí um jovem Sardão lindo como nunca tinha visto outro assim não sei o nome dele atual só sei o de há uns anos ainda era Lacerta ocellata eu só sei que de manhã apanhava uns abelhões e ia pô-los à frente da casota dele entre as pedras da escada que dá para o tanque e ele saía e farejava farejava e ao fim de muito farejar apanhava o abelhão e levava-o para dentro depois deixei de o ver até que apareceu um sardão morto ao pé das videiras que até parecia que tinha levado uma paulada na cabeça e fiquei muito triste e até perguntei ao caseiro Não me diga que matou o sardão ele não faz mal nenhum e era lindo de morrer!!!???????????????? e o caseiro ficou enxofrado e disse que se tivesse morto o sardão não o deixava à vista feito corpo de delito e então uma noite  vi uma ratazana a entrar para um buraco do muro e vejo os gatos abomináveis por aí e decidi que o sardão sucumbiu aos ataques dos gatos ou das ratazanas sei lá é uma pena também há tempos andei eu mais um moço a salvar as rãs do tanque para o caseiro o despejar e pôr cimento nas fendas foi muito divertido porque o moço tem mais de trinta anos e muito medo de tudo e disse que tinha medo das rãs e nem pensar em ir para dentro do tanque que estávamos a despejar pois podia afogar-se e eu tinha feito com muito custo uma rede camaroeira que não serviu para nada e então quando já quase não havia água no tanque o moço apanhou à mão as rãs e um monte de girinos que levámos para a poça e ele ficou com os dentes todos fora da boca a rir-se porque eu não lhe pedi nada daquilo mas ele é que resolveu meter as mãos à obra e salvou as rãs e não teve medo nenhum agora não posso mas para o ano peço à equipa do Naturdata que diga que rãs são aquelas eu acho que são Rana iberica mas nunca se sabe e agora só quero agradecer terem identificado a cobrita-rateira fiquei mesmo muito contente xau.

Miss Pimb
Britiande, 15 de Setembro de 2011

A cobrita fez ninho debaixo da sineta

A Cobra-rateira parece uma grande serpente mas não: é uma jovenzinha frágil que fugiu a toda a velocidade quando levantei a sineta

Essa foto tão nítida de Malpolon monspessulanus é de Albano Soares
e está no sítio Naturdata

 
Naturdata. Em:
http://naturdata.com/Malpolon-monspessulanus-2032.htm
 
 

 

 

 


hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano