powered by FreeFind

 

 




 


 

 














Foto: Martins Correia
MISS PIMB:
Observatório da Natureza
Ilex aquifolium, o azevinho

Ontem o nosso amigo Dr. Armando Ribeiro convidou-nos, a mim e à minha prima Saurita, para um passeio até umas aldeias da região de Lamego onde há azevinhos e outras coisas interessantes, eu gostei muito, não conhecia o azevinho ao natural, só cortado em ramitos e passado a imagem, reparei que tem folhas de duas variedades muito diferentes, as folhas da parte baixa, ao nível da mão, são duras, muito recortadas e picam, as de cima, a onde já a mão não chega, são lisinhas e arredondadas, e então verifiquei que há várias opiniões sobre o assunto, e eu de raiz não me fio em explicações finalistas, do género, "A girafa tem pescoço comprido para chegar às folhas mais altas das árvores", ela se quiser chega às folhas baixas, e à erva, e sabia lá o genoma da girafa se ela tinha ou não tinha no futuro de se adaptar a ecossistemas onde seria útil e agradável ou exclusivo o alimento postado em altura, eu cá acho é que a girafa consegue comer as folhas que não come o elefante porque tem a vantagem do pescoço alto, mas verdade se diga que o elefante, se quiser, deita abaixo a árvore e come tudo, e é isso mesmo o que ele faz, pronto, vamos às gazelas, a vantagem da girafa sobre a gazela está no pescoço alto, mas será que a gazela come as mesmas folhas que a girafa?, não sei, é o mesmo que dizer, sabe-se lá, que a vantagem da girafa sobre o leão é ter aquele pescoço, mas verdade se diga que o leão não come folhas, a vantagem do leão é a girafa ter aquele pescoço apetitoso, que dá de comer a uma família de leões, mais uma família de abutres, e outra de chacais e tal, então dizem que o azevinho tem as folhas de baixo picantes para os animais não as comerem, sabe lá o azevinho se há animais que gostem de lhe petiscar as folhas, e, se houver, até podem ter beiços grossos capazes de chamar um figo aos recortes aguçados das folhas, e depois, as folhas de cima, como já não têm predadores, são lisinhas e apetitosas, olha aí, se são lisinhas e apetitosas, até eu as comia, subia a um escadote, e há aves que comem folhas, e insectos e tal, como digo, estas explicações afligem-me porque pressupõem intenções e premeditações com milénios de idade e prazo, eu não acredito que os animais e ainda menos as plantas premeditem e façam projectos a longo termo, então outra explicação diz que as folhas novas do azevinho são recortadas e quando ficam velhas, porque as folhas do azevinho são persistentes, quando ficam velhas perdem os dentes, ora, é tão natural os velhos perderem capacidades, e têm de pôr pontes e dentaduras inteiras, é uma maçada, devemos poupar os dentes, nunca os arrancar, a menos que não tenham salvação nenhuma, só quando uma criatura não tem dentes é que percebe o bom que era tê-los, então foi em Peixeninho que fotografámos e admirámos vários espécimes de azevinho de porte imponente, o azevinho é um arbusto que pode crescer bastante para se assemelhar a uma árvore, e tem por frutos umas bagas vermelhas, que amadurecem no Inverno, é muito lindo, por isso se usa no Natal para ornamentar as mesas e as portas, e há bordados e desenhos de toalhas de mesa com o ramo de azevinho e as bagas vermelhas, tanto se tem abusado do azevinho que ele está em vias de extinção, por isso foi preciso incluí-lo na lista das espécies botânicas protegidas, Decreto - Lei n.º 423/89 de 4 de Dezembro. Quem cortar ou transportar azevinho selvagem fica sujeito a multa, e não digam que não avisei, mais vale arranjarem um pé dele que pegue para plantarem no jardim, é uma forma de o protegermos, e devemos proteger a nossa flora, a flora própria da nossa terra, seja indígena seja naturalizada há muitos séculos, e evitar essa coisa das espécies exóticas, como o cedro, o eucalipto e tantas outras, que destroem a paisagem e até mesmo o terreno, e eu acho que era na escola que deviam ensinar quais são as espécies endóticas, naturais e as naturalizadas, e quais são as espécies exóticas, para evitarmos as dos outros e protegermos as nossas.

Espécime de Ilex aquifolium com vários metros de altura
As folhas dos ramos mais altos, mais velhas, têm bordos lisos
As folhas duras, recortadas e com espinhos dos ramos baixos, mais jovens
Um azevinho de grande envergadura espreita sobre o telhado desta casa de Peixeninho
Britiande, 3 de Agosto de 2008
Contact: miss.pimb@triplov.com

 

 

 


hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano