Procurar imagens
     
Procurar textos
 

 

 

 

 

 

 

 

LIVRE PENSAR
Do ponto mais Oriental das Américas
- João Pessoa - Paraíba - Brasil
Número 615 - 25 de janeiro de 2005

 

O Fato Consumado
IVALDO GOMES

 

Aqui na Paraíba, onde vivo, as coisas tendem a ser sempre um fato consumado. É assim que é. Depois das eleições, por exemplo, tudo se acomoda na posse dos eleitos. E imediatamente começa-se a se organizar as próximas eleições. Vivemos de eleições, preleções (discursos), disso e daquilo, e quase nada muda a não ser a forma de se apoderar do tal 'poder' do Estado, que são os governos e seus poderes constituídos.

O que mais se tem na Paraíba é mau exemplo de administração pública. Dos 226 municípios, você conta nos dedos alguns que fazem alguma coisa em benéfico de sua população. Mas as 'famílias' que se instalam em qualquer nível de poder, essa sim cresce e se desenvolve economicamente a olhos vistos. Pois o desfile de mordomias, carros, casas, apartamentos, propriedades e festas só mesmo muitas colunas sociais para noticiar tanto glamour. E como se faz festas nesse Estado cercado de miséria por todos os lados. Tudo isso é a prova cabal que "administrar" o poder na Paraíba é um bom negócio.

Nós, os contribuintes, eleitores e cidadãos ficamos olhando até quando vai tudo isso. E olha que não ficamos acomodados não. Temos centenas de sindicatos e associações (a maioria pelegas), p-a-r-t-i-d-o-s 'políticos' de todas as tonalidades de direita e alguns que tentam ser de esquerda. Ong,s pra dar e vender. E muito movimento social para dar ocupação aos futuros políticos e líderes em gestação. Sendo assim, fica fácil manter o poder sob eleições compradas na base da propaganda enganosa e distribuição de possíveis futuros pessoais. Mesmo que seja em grupo. E o resto da sociedade?

O resto somos nós. Acho, com muita sinceridade, que está na hora dos cidadãos, contribuintes e eleitores, começarem a questionar essa equação imposta à vida de todos nós e começar, quem sabe, de forma silenciosa e persistente, tomando consciência que dessa forma não é mais possível ficar. Temos que rever muita coisa por aqui. Pois essa montanha de impostos não nos é devolvida em forma de serviços básicos ao exercício da nossa cidadania. Por que temos que pagar tudo isso e receber esse tipo de tratamento?

Não estamos mais a fim de discutir 'administrativamente' o Estado e nem tão pouco a administração municipal de canto nenhum. Estamos querendo discutir política. Não essa politicagem que andam fazendo, pois essa não interessa ao povo, e sim aos grupos que enganam o povo. Está na hora de repactuar a sociedade. Restabelece-la em outro patamar. Fechar esse círculo de desonestidade de propósitos e reabrir a discussão por uma sociedade justa e igualitária. Como manda a Constituição Brasileira.

"O poder só tem sentido quando cuida de todos".
Ivaldo Gomes
 
Essa coluna é editada por Ivaldo Gomes e colaboradores. ivg@terra.com.br
 

 




 



hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano