TEOLINDA GERSÃO
A CASA DA CABEÇA DE CAVALO
Cena 17

(Simultaneamente ao estampido e ao apagar da luz, ou um segundo depois, ouve-se a mesma música alegre do início, acende-se uma luz muito forte e aparece o Bonecreiro dando à manivela do realejo)  

Bonecreiro, (jovial, com ares de dono deste mundo e do outro)

Mas nós estamos vivos, não é verdade senhoras e senhores, meninos e meninas? Estamos vivos, oh se estamos, muito mais vivos do que há um minuto atrás, mais vivos do que no princípio desta noite e deste espectáculo inesquecível.

Abracem o vosso par, beijem o par que trouxeram, aí tão bonito a vosso lado, pois é, jovens barbudos e donzelas casadoiras, felizes os que têm par, e os que não têm procurem depressa um, aproveitem cada minuto que passa, gozem as mesas e as camas, que são os lugares mais importantes do mundo.

E bendigam o teatro, que é um espelho para ver as vossas caras e a minha,

(tira um espelho de dentro do realejo, olha-se e vira-o para o público, depois deixa-o cair para dentro do realejo).  

(Fingindo-se sério e quase zangado)  

Porque se pensavam que vinham aqui só para passar o tempo estão redondamente enganados, senhoras e senhores, meninos e meninas.

Muitas coisas aconteceram aqui esta noite, e espero que fiquem nas vossas cabeças – não importa que sejam louras ou morenas, penteadas ou carecas, desde que não sejam cabeças ocas, e tenho absoluta certeza de que nesta ilustre assembleia e neste brilhantíssimo público não se encontra uma única cabeça oca, embora possa haver muitas cabeças carecas.

Por isso não duvido de que as vossas respeitáveis cabeças inteligentíssimas vão guardar tudo dentro delas, tão vivo e perfeito como está dentro desta caixa,  

(bate no realejo).  

não é verdade? Então digam comigo :

Esta noite foi-nos dado ver a vida e a morte, ou seja, o que há de mais importante no mundo, porque o que há de mais importante do que a vida e a morte? O dia de hoje não volta, o de amanhã não se repete,  

(Tira de dentro do realejo uma taça de espumante)  

(esfusiante)  

À vossa! A esta Casa e a todas as casas! Viva a vida, senhoras e senhores, donzelas e cavalheiros! Aproveitem cada minuto, gozem cada minuto e sejam felizes, sejam felizes –

E agora já podem ir-se embora, mas vão devagar e com cuidado e pensem no que viram, durmam bem e tenham bons sonhos e amanhã e digam aos vossos amigos colegas e conhecidos, parentes compadres e vizinhos, que venham também ouvir esta história da Casa da Cabeça de Cavalo, uma Casa como nunca se viu ….  

(Começa a repetir o discurso do início; por cima da voz, abafando-a, a música irrompe, alta e alegre, os actores e os bonecos saltam de dentro do realejo ou de detrás da cortina e dançam com o Bonecreiro, cumprimentando o público e acenando alegremente. Alguns trazem na mão pandeiretas, ferrinhos, castanholas e pirotecnias.)

Teolinda Gersão nasceu em Coimbra, estudou Germanística e Anglística nas Universidades de Coimbra, Tuebingen e Berlim, foi Leitora de Português na Universidade Técnica de Berlim, docente na Faculdade de Letras de Lisboa e posteriormente professora catedrática da Universidade Nova de Lisboa,onde ensinou Literatura Alemã e Literatura Comparada até 1995.A partir dessa data passou a dedicar-se exclusivamente à literatura.

Além da permanência de três anos na Alemanha viveu dois anos em São Paulo, Brasil (reflexos dessa estada surgem em alguns textos de Os Guarda-Chuvas Cintilantes, 1984), e conheceu Moçambique, cuja capital, então Lourenço Marques, é o lugar onde decorre o romance de 1997 A Árvore das Palavras.

Escritora residente na Universidade de Berkeley em Fevereiro e Março de 2004.

LIVROS PUBLICADOS
(Publicações Dom Quixote, Lisboa)


O SILÊNCIO (Romance),1981, 4ª edição 1995

PAISAGEM COM MULHER E MAR AO FUNDO (Romance),1992,4ª edição 1996.

HISTÓRIA DO HOMEM NA GAIOLA E DO PÁSSARO ENCARNADO (literatura infantil),1982 (esgotado)
OS GUARDA-CHUVAS CINTILANTES (Diário Ficcional) 1984,2ªedição 1997

O CAVALO DE SOL (Romance),1989 ; edição Dom Quixote-Planeta 2001

A CASA DA CABEÇA DE CAVALO (Romance),1995,2ª edição 1996 ;
edição em Braille,1999


A ÁRVORE DAS PALAVRAS (Romance),1997
edição especial,com 50 ilustrações de Maia, 2000 ; 2ª edição, 2001
edição Dom Quixote- Círculo de Leitores 2001
edição Dom Quixote-Visão 2003


OS TECLADOS (Narrativa),1999 ,2ªedição 2001;edição em Braille,2003

OS ANJOS (Narrativa) , 1ª e 2ª edição 2000

HISTÓRIAS DE VER E ANDAR (contos) ,1ª e 2ª edição 2002

O MENSAGEIRO E OUTRAS HISTÓRIAS COM ANJOS (contos) 2003

Uma versão teatral de OS TECLADOS foi representada no Centro Cultural de Belém em 2001,com encenação de encenação de Jorge Listopad.

Uma versão teatral de
OS ANJOS foi representada em 2003 pelo grupo de teatro O Bando,com encenação de João Brites.

Uma versão teatral em língua romena de A CASA DA CABEÇA DE CAVALO foi representada em Bucareste em Abril de 2004.

Fonte: http://www.teolinda-gersao.com/bibiografia.html
 

 

 

 




 



hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano