TEOLINDA GERSÃO
A CASA DA CABEÇA DE CAVALO
Cena 16

Os actores estão novamente no palco. Entra o livro, agora muito pequeno, em tamanho normal.  

I - Não podemos parar de escrever.  

(Acendem uma vela enorme e grossa junto do livro.

Januário escreve  

- Mas esquecemos tantas coisas

- Cada vez esquecemos mais coisas

(testando a memória)

- O que era a mão do regador?

- A parte dos furos, por onde saía a água

- De que cor era a flor do tremoço?

- Azul.

- Amarela.

- Não,era azul.  

(som de passos de cavalo. Os actores olham-se, agora muito assustados)  

- Meu Deus, ele vem aí

- Desta vez é a sério

- Ele vem

- É ele

- Meu Deus

- Já não temos tempo

- Escreve depressa

- Depressa  

Januário - Não me lembro do que ia escrever

- Não me lembro

- Era sobre o primo Heitor

- Quem era o primo Heitor?

- Não me lembro de nenhum primo Heitor

- Nunca houve nenhum primo Heitor

- Meu Deus, começamos a esquecer tudo  

(som de passos de cavalo, cada vez mais perto. A vela diminui visivelmente de tamanho)  

- Depressa

- Depressa  

(Falam com nervosismo, quase ao mesmo tempo)  

- Lembro-me das festas

- A mais louca de todas

- O casamento de Armindo

- Que deixou para trás a noiva e o vestido

- E fugiu na véspera com uma das convidadas.  

(trote de cavalo, vento)  

- O meu vestido preferido era lilás

- António jogava as cartas com Roberto e perdia sempre

- O primeiro rádio que tivemos foi em mil novecentos e…

- Roberto queria vender a Casa e Gonçalo discordava, até que um dia -  

(passos de cavalo mais fortes, a vela está quase extinta.

Eles diminuem de tamanho como a vela, flectem os joelhos e sentam-se nos calcanhares.

A luz quase se apaga, ouve-se um relincho, aparece por um instante uma cabeça de cavalo de fogo e uma luz muito forte, som fortíssimo de vendaval, as folhas do livro voam pelos ares, o livro desfaz-se. Há um estampido e tudo fica escuro.

Teolinda Gersão nasceu em Coimbra,estudou Germanística e Anglística nas Universidades de Coimbra, Tuebingen e Berlim, foi Leitora de Português na Universidade Técnica de Berlim, docente na Faculdade de Letras de Lisboa e posteriormente professora catedrática da Universidade Nova de Lisboa,onde ensinou Literatura Alemã e Literatura Comparada até 1995.A partir dessa data passou a dedicar-se exclusivamente à literatura.

Além da permanência de três anos na Alemanha viveu dois anos em São Paulo, Brasil (reflexos dessa estada surgem em alguns textos de Os Guarda-Chuvas Cintilantes, 1984), e conheceu Moçambique, cuja capital, então Lourenço Marques, é o lugar onde decorre o romance de 1997 A Árvore das Palavras.

Escritora residente na Universidade de Berkeley em Fevereiro e Março de 2004.

LIVROS PUBLICADOS
(Publicações Dom Quixote, Lisboa)


O SILÊNCIO (Romance),1981, 4ª edição 1995

PAISAGEM COM MULHER E MAR AO FUNDO (Romance),1992,4ª edição 1996.

HISTÓRIA DO HOMEM NA GAIOLA E DO PÁSSARO ENCARNADO (literatura infantil),1982 (esgotado)
OS GUARDA-CHUVAS CINTILANTES (Diário Ficcional) 1984,2ªedição 1997

O CAVALO DE SOL (Romance),1989 ; edição Dom Quixote-Planeta 2001

A CASA DA CABEÇA DE CAVALO (Romance),1995,2ª edição 1996 ;
edição em Braille,1999


A ÁRVORE DAS PALAVRAS (Romance),1997
edição especial,com 50 ilustrações de Maia, 2000 ; 2ª edição, 2001
edição Dom Quixote- Círculo de Leitores 2001
edição Dom Quixote-Visão 2003


OS TECLADOS (Narrativa),1999 ,2ªedição 2001;edição em Braille,2003

OS ANJOS (Narrativa) , 1ª e 2ª edição 2000

HISTÓRIAS DE VER E ANDAR (contos) ,1ª e 2ª edição 2002

O MENSAGEIRO E OUTRAS HISTÓRIAS COM ANJOS (contos) 2003

Uma versão teatral de OS TECLADOS foi representada no Centro Cultural de Belém em 2001,com encenação de encenação de Jorge Listopad.

Uma versão teatral de
OS ANJOS foi representada em 2003 pelo grupo de teatro O Bando,com encenação de João Brites.

Uma versão teatral em língua romena de A CASA DA CABEÇA DE CAVALO foi representada em Bucareste em Abril de 2004.

Fonte: http://www.teolinda-gersao.com/bibiografia.html
 

 

 

 




 



hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano