NICOLAU SAIÃO
ONZE DEGRAUS

(“Onze é o verdadeiro número dos degraus alquímicos
a descida e a subida em um só ponto”- Gérard Calandre)

1. Retábulo da alegria

2. Efemeridade

3. Voar

4. Cidade

5. Magnólia

6. Água

7. Resistência

8. Madrugada

9. Granito

10. Sorriso

11. Palavra

3. VOAR

Não o voo mas a

sombra

O sinal posto sobre o ar

a dor do vento naquela voz

que cresce

nessas nuvens perdendo-se na terra.

Não a

súbita asa de um

rosto

erguido entre árvores

e montes

como figuras agora contra o tempo

que adeja sobre os ramos

- essa febre como uma chuva errante –

mão que não paira

mas se recorda e vibra

num esvoaçar

tenaz

 

Ave exacta no mundo

- sua serena hora -

e agora já na lonjura

 

perdida e solitária.

 

 

 

 


hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano