MÁRIO MONTAUT (poema)
Hélio Rôla (imagem)

OURO BRUTO
[fragmentos]

2

Ela nem imagina como sofro,
e como morro de orgasmos influídos
dos que são sóis de néctar
dos que são mar de luzes...
que Buda algum jamais sidharta.
Pois raras são as encarnações
onde a benção de uma canção
cai como estrela no pico da árvore mais fina
no cemitério de minhas Paixões Mais Vivas.
Ela não sabe,
nem desconfia,
das luminosas assombrações,
dando relevo à luz da tarde,
que vai sem medo,
e os namorados,
livres de nós.

 
   

 

 

 


hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano