Procurar textos
 
 

 

 

 

 







 

 

MÁRIO MONTAUT
ISTO É SÓ PARA VOCÊ
INDEX

Isto é só para você
Onda vermelha
Antes do divã
Acerca da solidão
Festa
Lúcido
Sancho
12 de Outubro
Mulher qualquer
Fresta de iguarias
Abrir-te, Vênus
Com muita fé no som

Com muita fé no som

Medido a outros relógios

PLÓC-BLÚNCH

PLÓC-BLÂMCH

Bush cuspido a minutos de Israel

O Tempo lendário

Dromedário

Camelo

Diário do céu amargo

QUERIA A BOMBA-RELÓGIO AZUL

De outros mosquitos

As Mesquitas ajoelhavam suas colunas, numa escultura doce, pra olho arquitetônico, algum, botar defeito nas meiguices da pedra islâmica que sensuala, com 1 Beijo Árabe, Casal do Medo entre o Terror que faraona; longos egípcios, bengalas, e outras condições do clima; o Homem chegou, amaldiçoando as areias, e no rio calmo, nas águas que as temperam, desfechou um golpe másculo, sem fazer caso das crianças que lhe acompanham, a longas vistas, desde que abajures e acordes safronados, ligavam cânticos de Meca, e ilha a ilha, tudo se consulando em clarões da música deserta; Ela não resistiu; abandonou o esposo e dormitou no primeiro oásis.

A guerra se triangulava em elipses da ameixa,

Leite de cabra,

Pós do estrondo vigoroso

O Oriente Médio estremecia;

A terra tinha lá suas delícias,

Convulsas de sangue e aroma da chuva;

Tudo selecionado a pontos de uva.

BACO inaugurava o serão das últimas nascentes.

A Grécia, com seu apetite,

Facultava granjas e haréns,

Onde o pomar dos novos ídolos

Liquidava-se a mordidas do sultão;

Gays,

Odaliscas,

Y ramos de oliva

Aparentavam a suavidade dos azeites;

Enquanto o paraíso de Alá

Engravidava de outras promessas,

Melhor calá-las

E ouvir o íntimo roçar de línguas

Na santidade daquelas bocas;

No útero dela uma lua amarela e cheia

Irradiando-se nas palmeiras,

Na geografia tão fértil daqueles dias

Uma nova composição de moscas e pianos

Seria ouvida entre pedras,

Fetos

E um terço mourisco

(abalavam-se as ladainhas...

COM MUITA FÉ NO SOM.

(Mário Montaut)

MÁRIO MONTAUT é brasileiro, paulistano, de ascendência italiana, espanhola, indígena, moura, francesa e outras. Desenvolve uma sequência de composições que vêm à luz, já em dois trabalhos: "Bela Humana Raça", Dabliú, 1999, e "Mário Montaut: Samba De Alvrakélia", a sair nos próximos dias pelo selo MBBmusic. São muitos anos de vivências artísticas, num panorama que inclui Dorival Caymmi, René Magritte, Manoel De Barros, João Cabral De Melo Neto, Borges, Chico, Caetano, Gil, Dalí, Fellini, Buñuel, Webern, Cartola, Breton, Blavatsky e muitos amores mais, indispensáveis à sua criação, que abarca, além das canções, poemas, textos, roteiros e outras coisas interessantes. Mário Montaut é basicamente um parceiro de todos os seus contemporâneos e ascendentes, humanos ou não, saibam eles ou não. Índios, Negros, Europeus, Sem-terra, Brisas, Baleias, Maremotos, Chuvas, Livros, Discos, Beijos e Trovões Em Todas As Roseiras. Atualmente grava um disco de parcerias suas com o poeta Floriano Martins, onde a talentosíssima intérprete Ana Lee canta grande parte do repertório. Mário Montaut é um pouco de tudo isso. E muito mais, com certeza, pode ser descoberto em seus discos lançados, em suas tantas canções já gravadas, poemas, textos, e múltiplos achados.    
 
   
   

 

 

 


hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano