Procurar imagens
     
Procurar textos
 

 

 

 

 


 

 

MARIA DO SAMEIRO BARROSO
SOB OS RIOS DO ESTIGE (1)

 

A DESPEDIDA DE HEITOR

ANDRÓMACA

Vem Heitor despedir-se de mim para sempre,

Quando Aquiles, com as mãos temíveis,

Prepara o horrendo sacrifício a Pátroclo ? (2)

Quem, de futuro, ensinará o teu filho (3)

A atirar as lanças e a honrar os deuses,

Quando te tragar o Orco (4) escuro?

 

HEITOR

Esposa querida, poupa as tuas lágrimas,

A minha ânsia febril vai para o campo de batalha,

Estes braços protegem Pérgamo (5),

Lutando pelo altar sagrado dos deuses,

Cairei e, salvador da terra pátria,

Descerei ao rio estigío (6).

 

ANDRÓMACA

Não mais escutarei o fragor das tuas armas,

Ociosa está a tua espada no átrio,

Arruina-se a estirpe heróica do grande Príamo.

Vais para onde não mais surgem os dias,

O Cocito (7) chora, através dos desertos,

O teu amor termina no Lete (8).

 

HEITOR

Toda a minha ânsia, todo o meu pensamento

Quero afundar na torrente tranquila do Lete,

Mas não o meu amor.

Escuta! o selvagem (9) já está em fúria nas muralhas,

Afivela-me a espada, deixa-te de lágrimas,

Não morre no Lete o amor de Heitor (10).

Tradução de Maria do Sameiro Barroso
NOTAS

(1) Publicado no Boletim de Estudos Clássicos, Associação Portuguesa de Estudos Clássicos, Nº 39 , Coimbra, Junho de 2002, pp. 95-112.

Salvo menção em contrário, as traduções do alemão são da nossa autoria.

(2) Após a morte de Pátroclo, às mãos de Heitor, Aquiles tomou as armas para vingar o amigo e matou numerosos troianos (cfr., v. g. , Friedrich Schiller, Gedichte, Auswahl und Anmerkungen von Norbert Oellers , Reclam, Stuttgart, 2001, pp.167, 168).

(3) Astíanax, o filho de Andrómaca e Heitor.

(4) Orcus, na tradição latina e nas crenças populares romanas, personifica o espírito da morte, (Pierre Grimal, Dicionário de Mitologia Grega , Tradução de Victor Jabouille, Difel, 1992, Lisboa, p. 338).

(5) A cidade de Tróia.

(6) O Estige é o lago ou o rio infernal, tal como o são o Oceano, o Aqueronte, o Cocito, o Lete e o Piriflegetonte. (Pierre Grimal, op. cit., pg. 154).

(7) O rio dos lamentos. É um afluente do Aqueronte; corre paralelamente ao Estige. Estes dois rios formam, no seu conjunto, as águas que as almas têm que atravessar, antes de chegar ao Hades (Pierre Grimal, op. cit., p. 97).

(8) Lete, ou o Esquecimento, é filha de Éris, a Discórdia e mãe das Cárites (ou Graças). Dá o seu nome à Fonte do Esquecimento, localizada nos Infernos. Dela os mortos bebiam para esquecer a vida terrena (Pierre Grimal, op. cit., pp. 274-275).

(9) Aquiles.

(10) HEKTORS ABSCHIED

ANDROMACHE

Will sich Hektor ewig von mir wenden,

Wo Achill mit den unnahbarn Händen

Dem Patroklus schrecklich Opfer bringt?

Wer wird künftig deinen Kleinen lehren

Speere werfen und die Götter ehren,

Wenn der finstre Orkus dich verschlingt?

HEKTOR

Teures Weib, gebiete deinen Tränen,

Nach der Feldschlacht ist mein feurig Sehnen,

Diese Arme schützen Pergamus,

Kämpfend für den heil'gen Herd der Götter

Fall ich, und des Vaterlands Retter

Steig ich nieder zu dem styg'schen Fluß.

ANDROMACHE

Nimmer lausch ich deiner Waffen Schalle,

Müßig liegt dein Eisen in der Halle,

Priams großer Heldenstamm verdirbt.

Du wirst hingehn, wo kein Tag mehr scheinet,

Der Cocytus durch die Wüsten weinet,

Deine Liebe in dem Lethe stirbt.

HEKTOR

All mein Sehnen will ich, all mein Denken

In des Lethe stillen Strom versenken,

Aber meine Liebe nicht.

Horch! der Wilde tobt schon an den Mauern,

Gürte mir das Schwert um, laß das Trauern,

Hektors Liebe stirbt im Lethe nicht.

Friedrich Schiller, Sämtliche Werke, Band I: Gedichte , Insel, Berlim, 1991, p. 49.

Maria do Sameiro Barroso é licenciada em Filologia Germânica e em Medicina e Cirurgia, pela Universidade Clássica de Lisboa. Exerce a sua actividade profissional como médica, Especialista em Medicina Geral e Familiar.

Em 1987 iniciou a sua actividade literária, tendo publicado livros de poesia e colaborado em antologias e revistas literárias. A partir de 2001, a sua actividade estendeu-se à tradução e ensaio, tendo publicado, em revistas literárias e académicas.

Em 2002 iniciou a sua actividade de investigadora, na área da História da Medicina, tendo apresentado e publicado trabalhos, nesta área.

 




 



hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano