Procurar imagens
     
Procurar textos
 

 

 

 

 

 


 

LUÍS REIS..

“Subsídios para a História da Biblioteca Pública de Évora”
(Comentário)

ÍNDICE

Introdução

I. A evolução do Livro e da Leitura (síntese histórica)

II. D. Frei Manuel do Cenáculo Villas Boas

III. Análise de texto

III.1. A fundação da Biblioteca

III.2. Crises da Biblioteca

III.3. Perfeitos e Directores da Biblioteca

III.4. Modificações e acrescentos ao complexo arquitectónico
e cultural da Bibliotec
a

III.5. O Fundo da Biblioteca

III.6. Transcrição dos relatórios

IV. Conclusão

V. Fontes

 

Introdução

O texto que serve de base a este comentário, encontra-se inserido dentro do ponto três do programa da cadeira – A caminho da massificação do Livro e da leitura, nomeadamente nos sub-pontos: Ideias e projectos sobre Livros e Bibliotecas no Século das Luzes, e o exemplo de D. Frei Manuel do Cenáculo Villas Boas e o aparecimento das Bibliotecas Públicas e Clubes de Leitura, que foi analisado e apresentado na aula de 28 de Novembro de 2003.

Denominado, Subsídios para a História da Biblioteca Pública de Évora (1804-1950), vem a público na Revista A Cidade de Évora, em 1982 pela mão de Túlio Espanca, grande investigador eborense . Este nasceu a 8 de Maio de 1913, em Vila Viçosa, sendo considerado um autodidacta, viu a sua obra reconhecida a nível nacional e internacional. A cultura histórico - artística de Túlio Espanca não se baseou apenas em monografias e outros estudos sobre Évora e o Alentejo. A sua vocação historiográfica leva-o a embrenhar-se nas fontes da historiografia. Em 1953 foi contemplado com uma bolsa do Instituto de Arte e Cultura, que lhe permitiu estagiar em França e na Itália. Nomeado membro da Academia Nacional de Belas Artes em 1959 e sócio correspondente na Academia Portuguesa de História em 1976. É investido Doutor Honoris Causa, pela Universidade de Évora, e distinguido pela Câmara Municipal de Évora com a medalha de ouro da cidade e agraciado, em 1982, pelo Presidente da República, com a comenda de Santiago de Espada. Da sua obra destacam-se o Inventário Artístico de Portugal - Distritos de Évora e Beja, e a edição da revista ACidade de Évora, entre muitos outros trabalhos que contribuiriam para um maior conhecimento histórico-cultural do Alentejo. Túlio Espanca vem a falecer a 2 de Maio de 1993.

Como o próprio titulo sugere, Túlio Espanca pretende com este trabalho, contribuir para o conhecimento histórico e literário da Biblioteca Pública de Évora.

 

 

 

 



 



hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano