Nova Série

 
 

 

 

 

 

 

JOSÉ NASCIMENTO
Flores eunucas

Nos campos verdejantes da vida

Há flores que não abrem

Pólenes que não fecundam.

São flores eunucas

Crescidas no frio da noite

Alimentadas no ódio

Com raízes profundas e folhas amarelas.

São estas as flores que nos governam,

Onde os grãos de pólen são intrusos

Na missão de fecundar

E os insectos não polinizam

Por não saberem como as amar.

Estas flores são negras

Como as pétalas das suas corolas,

São plantas sem plastos

Sem sol nas suas folhas,

Só vivem do escuro da noite

Na frieza dos seus mitos.

Mas é nas noites de lua cheia

Que as suas corolas se abrem

E os morcegos lhes sugam o néctar

E as deleitam no prazer momentâneo do amor.

São estas as flores que nos alimentam,

De sentimentos escuros e prazeres reprimidos

Que nos fazem sentir

A pequenez de estarmos vivos,

Enterrados nas areias pantanosas do tempo

A vida não tem sentido cartesiano,

Mas o mundo continua a ser nosso

Na ilusão dos nossos desejos.

 

 

José Nascimento

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Francisco José do Nascimento Carrapiço (Lagos, Portugal, 23.10.1951). É professor no Departamento de Biologia Vegetal, Faculdade de Ciências da Universidade de Lisboa e escritor.

 

 

 




 



hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano