GLEDSON SOUSA
Estela

P/ Estela Guedes

Estela de tão longe

Tua dor cruzou o oceano

Mancha de vinho

Que atravessa o papel

Tua voz de poema antigo

Se espalha em praias, paisagens desertas

Não sei porque teu nome

Brotou com o mar

Estela as plantas, os bichos de nomes romanos

Os fósseis das palavras perdidas

Dizem de tua alma o papiro

A canção

Que teu nome guardou

 

Estela

Do outro lado do mundo

Num crepúsculo sem fim

Homens de palha marcham,

Proclamando a dor

Penso em ti numa casa de banhos

Arrematando poesia

Transbordando amanheceres

Estrelas

 

            São Paulo, 10 de abril de 2015, às 22.24

 
 
 
gledson_sousa@yahoo.com.br
 

 




 



hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano