GLEDSON SOUSA
Olho de Hórus
A Alma dos Poetas
P/Deise

Os peixes sorriem quando as algas se encantam com os corais

o amor é verso de pé quebrado

recitado

na beira do abismo

e os mortos invejam os corações dos peixes

 

Os grilos cantam canções elétricas ao sexo entre constelações

amor é sexo cósmico

pronunciado

no umbral do impossível

e os mortos invejam os corações dos grilos

 

Cigarras soam o amor dos deuses nas tardes de verão

deuses se amam indefinida e ternamente

o amor dos deuses é inconseqüente

e os mortos invejam os corações dos deuses

 

poetas se deslumbram com o coração do mar que encontram no rosto da menina

o coração do mar bate o amor do cosmo

a menina tem olhos de nereida

sorriso de lua cheia

e os mortos invejam a alma dos poetas

INDEX

Olho de Hórus
A Poesia Jorra
A Alma dos Poetas
Autógenos
Maio

 
gledson_sousa@yahoo.com.br
 

 




 



hospedagem
Cyberdesigner:
Magno Urbano